Tamanho do texto

Atual campeão mundial de surfe estreou com vitória fácil em sua bateria. Mineirinho e Toledo vão para a repescagem

Adriano de Souza, Filipe Toledo e Gabriel Medina são os brasileiros com chance de título
Kelly Cestari / WSL
Adriano de Souza, Filipe Toledo e Gabriel Medina são os brasileiros com chance de título

As condições do mar finalmente ajudaram e as primeiras baterias da etapa de Pipeline do Circuito Mundial de Surfe, que vai definir o campeão da temporada, puderam ser realizadas nesta quinta-feira. Entre os três brasileiros com chances de chegar ao título, apenas Adriano de Souza não teve motivos para comemorar.

Leia: Australiano sofre concussão e está fora da briga pelo título mundial de surfe

Favorito na quarta bateria da primeira fase, Mineirinho chegou a liderar a pontuação, mas levou a virada e foi batido pelo taitiano Michel Bourez (9,33) na disputa. Chateado, o brasileiro saiu da água com nota 7,23 e agora terá de passar pela repescagem para manter viva a chance de título mundial.

Atual campeão da World Surfing League, Gabriel Medina registrou 12,60 e passou com tranquilidade pelo havaiano Keanu Asing (7,84) e pelo australiano Wade Carmichael (3,73) e obteve vaga direta na terceira fase. Um belo tubo na parte final da bateria cravou a classificação do brasileiro.

Já Filipe Toledo, o último dos três brasileiros com chance de título a ir para o mar, liderava até que o havaiano Jamie O'Brien encaixou um tubo, a quatro minutos para o fim da bateria, e saiu com a vitória, com 8,06. Filipinho ainda tentou evitar a queda nos segundos finais, mas o pequeno tubo surfado lhe deu apenas 7,34. Agora resta a repescagem.

Leia: Com título na divisão de acesso, Brasil coloca mais três surfistas na elite

Medina, Mineirinho e Toledo disputam o título mundial com os australianos Mick Fanning, líder do ranking da WSL, e Julian Wilson. Outro surfista com chances de conquista, Owen Wright ficou fora da etapa de Pipeline devido a uma concussão. As baterias desta sexta-feira devem ter início às 16h (de Brasília).

O que é necessário para cada um?

Se Mick Fanning terminar em 25º ou 13º, ou seja, for eliminado nas primeiras fases, Julian Wilson precisará de um primeiro lugar, Gabriel Medina precisará da terceira posição ou acima, Mineirinho, de um nono lugar ou acima e Filipinho, de um 13º ou acima, para ficar com o título.

Se Fanning acabar em nono, Wilson não terá mais chance. Medina vai precisar vencer em Pipeline, Adriano, de um quinto lugar e Filipe, de um nono lugar. Se Mick Fanning terminar em quinto, Medina precisará ser primeiro, Mineirinho, de um terceiro e Filipe, de um quinto lugar. Caso Fanning termine em terceiro, Medina não poderá ser campeão, Adriano vai precisar de um segundo lugar e Filipinho, de um terceiro.

Se Mick acabar em segundo, Mineirinho e Filipinho precisarão vencer. Mas se o australiano triunfar no Havaí, será tetracampeão mundial de surfe independente do resultado dos seus adversários.

Confira o ranking:

1- Mick Fanning (AUS): 49.900;

2- Filipe Toledo (BRA): 49.700;

3- Adriano de Souza (BRA): 49.450;

4- Gabriel Medina (BRA): 45.350;

5- Owen Wright (AUS): 43.600;

6- Ítalo Ferreira (BRA): 41.600;

7- Julian Wilson (AUS): 41.450.

    Leia tudo sobre: surfe