Tamanho do texto

Campeão mundial júnior, Caio Ibelli brilha e vence o WQS com sobras, para subir no circuito com Alejo Muniz e Alex Ribeiro

Caio Ibelli vence o WQS e chega à elite para reforçar a
Divulgação/WSL
Caio Ibelli vence o WQS e chega à elite para reforçar a "Brazilian Storm"


A "Brazilian Storm" ficou mais forte para 2016. Nesta quinta-feira, com a conclusão do WQS, divisão de acesso do Circuito Mundial de surfe, o Brasil assegurou mais três atletas na elite da modalidade na próxima temporada, entre eles o campeão Caio Ibelli. 

O paulista de 22 anos, que já foi campeão mundial e brasileiro na categoria júnior, terminou o ano com 30 mil pontos na série de classificação, com vantagem de 1.500 para o australiano Jack Freestone e o norte-americano Kolohe Andino. Alejo Muniz, com 23.450 pontos, em sexto, e Alex Ribeiro, com 22.550, em oitavo, também subiram. 

Leia também:
Após ataque de tubarão, Jeffreys Bay é mantida no calendário de 2016
Brasil e Austrália fazem disputa acirrada por título do Mundial de Surfe

"É um fechamento incrível para o ano e não posso deixar de agradecer o apoio da minha família que sempre me apoiou. Depois dos títulos no júnior, agora tenho o da divisão de acesso. Falta só um para fechar essa coleção", disse Ibelli.

A partir de segunda-feira, o surfe brasileiro busca também o título na elite da WSL (Liga Mundial de Surfe), em Banzai Pipeline, no Havaí, com três competidores no páreo: Filipe Toledo, Adriano "Mineirinho" de Souza e Gabriel Medina, que luta pelo bicampeonato. 

    Leia tudo sobre: Surfe

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.