Mais Esportes

enhanced by Google
 

“Pensei que o pessoal fosse ficar mais atento”, diz Daynara

Após cumprir seis meses de suspensão por doping, nadadora lamenta que colegas ainda tenham que passar por problema

Pedro Taveira, iG São Paulo | 11/07/2011 11:20

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Daynara de Paula aprendeu sua lição. Flagrada em exame antidoping em agosto de 2010 e suspensa por seis meses pela Fina (Federação Internacional de Natação), ela disse que não toma mais suplementos alimentares à base de cafeína. No entanto, lamentou que companheiros de piscina ainda tenham que passar pelo mesmo problema que enfrentou.

No embarque da seleção brasileira ao Mundial de Xangai, na madrugada desta segunda-feira, a atleta se negou a comentar o caso Cesar Cielo - que deu "drible" e embarcou antes para a China. Apenas falou ter “ficado triste” e confiar que “no final tudo dará certo”. Mas, ao tratar da ausência da amiga Fabíola Molina, também suspensa por doping, Daynara mandou um recado que serve perfeitamente ao campeão mundial: “Pensei que o pessoal fosse ficar mais atento”.

Principal nome da natação feminina na atualidade, Fabíola foi flagrada em exame antidoping durante a Tentativa para o Mundial, evento criado pela CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) para que atletas pudessem obter índice ao torneio mais importante do ano, em abril. Análise laboratorial atestou o uso do estimulante metil-hexanamina e ela pegou suspensão de dois meses.

No ano passado, Daynara testou positivo para o diurético furosemida, que pode mascarar a presença de outras substâncias proibidas. O caso é idêntico ao de Cielo: a defesa da nadadora alegou contaminação cruzada de um suplemento alimentar produzido por uma farmácia de manipulação.

Segundo revelou ao iG Cristiano Caús, advogado de Daynara na ocasião, o painel da Fina aplicou os seis meses de pena por considerar que uma atleta de alto nível não poderia mandar fazer seus suplementos em uma farmácia comum. Apesar de não ser a sanção máxima prevista, de dois anos, esta punição excluirá a nadadora dos Jogos Olímpicos de 2012.

Porém, se o assunto é a advertência aplicada pela CBDA ao campeão olímpico, Dayara alega não ter “nada a declarar”. Já quando é perguntada sobre o uso de suplementos, a atleta revelou que isto faz parte do passado em sua carreira. “Principalmente manipulado”, brincou. “Não tenho uma farmácia em casa para ver se o que eu estou tomando está certo”.

Mais experiente, Daynara evita falar em medalha
Se no Mundial de Roma, há dois anos, ter chegado à final nos 50m borboleta já foi um feito enorme, o ideal para Daynara de Paula em Xangai é lutar por medalha, certo? Não na visão da nadadora. “Não penso em medalhas. Quero apenas melhorar minha marca”.

Competindo também nos 100m borboleta, a atleta será o grande nome feminino do Brasil no torneio por causa da ausência de Fabíola Molina. Para não decepcionar, Daynara diz que a experiência adquirida em 2009 pode ajudá-la na atual edição do torneio.

“Aquela [em Roma] foi minha primeira competição importante. Quando fui à final, não sabia como agir, a hora de entrar na piscina... Eu quase chorei antes de nadar”, afirmou. “Agora treinei forte. Na época que fiquei afastada peguei uma base boa. Não é tanta assim, mas já estou com mais experiência”.

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG

Ver de novo