Mais Esportes

enhanced by Google
 

Disputa por vaga no Mundial agita nado peito no Troféu Maria Lenk

Tales Cerdeira e Felipe Lima já tinham índice, conquistado também por Felipe França e Henrique Barbosa nos 100m peito

Gazeta | 03/05/2011 23:09

Compartilhar:

Como vem acontecendo nos últimos anos, o nado peito sempre traz emoção ao Troféu Maria Lenk/ Brasileiro Absoluto de Natação. Quatro nadadores estão com índice para a prova dos 100m peito. Dois deles - Felipe França e Henrique Barbosa - entraram agora, e um terceiro melhorou seu tempo nas eliminatórias desta terça-feira, no parque aquático Júlio de Lamare.

Antes do Maria Lenk 2011, Tales Cerdeira, com 1m00s47 e Felipe Lima, com 1m00s88, eram os únicos a terem atingido o índice exigido para o Mundial de Xangai, que é de 1m00s95. Após as eliminatórias desta noite, Felipe França Silva, do Pinheiros, passou a ser o primeiro da lista, com o tempo de 1m00s20, seguido pelo xará de Mato Grosso, Felipe Lima, do Minas Tênis, que melhorou sua marca para 1m00s46, tirando Tales por um centésimo.

Tales terminou em quinto nesta eliminatória, com 1m01s40. Já Henrique Barbosa, companheiro de Tales no Flamengo, marcou 1m00s78 e fez o terceiro tempo da noite e o quarto na disputa por uma vaga na China. "Eu já tenho vaga para os 200m peito, mas quero entrar também nos 100. Esta prova está tão emocionante como a dos 100m livre. Daqui a pouco todos os oito finalistas vão ter índices para competições internacionais. A prova está apertada e vai ser uma guerra na água", disse Henrique. Já Felipe Lima sabe que nada está decidido.

"Esta disputa só terá definição na quinta-feira, 5/5, pela manhã na final da prova. Mas já amanhã (qua, 4/5), na semifinal, acredito que os tempos vão melhorar também. Sei que posso baixar ainda mais o meu tempo, pois venho treinando pra isto e fazendo boas marcas. E estou me sentindo muito bem aqui nesta competição", concluiu Felipe Lima. Ainda nos 100m peito, a revelação Angelito Cassandra, do Pinheiros, fez novamente o índice para o Mundial Junior de Lima, em agosto, com a 10º tempo das eliminatórias - 1m03s17 - mas ele já tem marca melhor: 1m02s97.

Na versão feminina da prova, a disputa foi entre norte-americanas. A americana Rebecca Soni, do Minas Tênis, obteve o melhor desempenho, com 1m07s64, tempo melhor do que o recorde sul-americano de Tatiane Sakemi, 1m07s67, de 2009. Se após a semifinal e final da prova, a performance for mantida, Rebecca fica com o recorde de campeonato, mas leva para seu clube o bônus pelo recorde continental. A segunda melhor marca das eliminatórias ficou com a também americana Jessica Hardy, do Flamengo, com 1m08s52.

Nos 200m livre, o tunisiano Oussama Mellouli, pelo Corinthians (1m49s65) e Jessica Cavalheiro, do Minas Tênis (2m02s58), fizeram os melhores tempos das eliminatórias. Mas na briga por uma vaga no reveza 4x200m masculino houve uma dança de cadeiras. João Lucca, do Flamengo, passou a ser o quarto integrante, com 1m50s46, apesar de Leonardo Fim, do Minas, ter melhorado seu tempo, de 1m51s60 para 1m51s12.

Nicolas Oliveira, do Minas Tênis, passou a ser o primeiro homem do quarteto, com 1m49s76. Rodrigo Castro, outro do Minas, manteve a terceira vaga, baixando seu tempo de 1m50s79 para 1m50s32. O segundo posto é de André Schultz, do Flamengo, com o 1m50s22 obtido anteriormente. Shultz fez 1m50s64, sexto tempo nesta terça.

Os 400m medley teve Kirsty Coventry, do Zimbabue, nadando pelo Minas, e Mireya Belmonte, da Espanha, pelo Flamengo, em belo duelo. A final desta 4ª feira, 4/05, promete. Kirsty marcou 4m44s39 contra 4m45s84 de Mireya. No masculino, Diogo Yabe fez o melhor tempo das seletivas, com 4m23s06. Thiago Pereira, do Corinthians, único que já tem índice para o Mundial nesta prova (4m16s42), fez o terceiro tempo da noite, 4m26s67.

"Estou um pouco cansado por conta das provas da manhã. Mas nadei tranqüilo e agora é voltar ao hotel, descansar e pensar em amanhã", disse Thiago.

Por fim, nos 100m borboleta, a recordista sul-americana, Gabriella Silva, do Pinheiros, foi a melhor com 59s84, mas não saiu muito satisfeito da piscina, pois ainda está distante do índice para Xangai: 58s76. Somente Daynara de Paula, do Minas, já conseguiu o índice na Tentativa Mundial da semana passada. No masculino, Henrique Martins, do Pinheiros, fez 52s91 e foi o melhor. Já Kaio Márcio, quinta marca (54s01), estava otimista para as próximas caídas na água.

"Estes tempos vão baixar e eu vou nadar mais tranqüilo, pois tenho marca para os 200m borboleta. Para a final vou me raspar e buscar o índice e a medalha para o Fluminense", disse Kaio Márcio.

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo