Tamanho do texto

Bronze nos Jogos Olímpicos do Rio, brasileira está na briga com outras duas atletas pelo título da Copa do Mundo. Última etapa acontece neste sábado

Poliana Okimoto está na disputa do título da Copa do Mundo de maratona aquática
Rio 2016/REPRODUÇÃO
Poliana Okimoto está na disputa do título da Copa do Mundo de maratona aquática

Medalha de bronze na maratona aquática dos Jogos Olímpicos do Rio, a brasileira Poliana Okimoto está muito próxima de conquistar mais um resultado de expressão em sua carreira. Desta vez, a chance é na Copa do Mundo Fina da modalidade, que tem a sétima e última etapa prevista para acontecer neste sábado, às 8h, horário local (22h de sexta, no Brasil), em Repulse Bay, Hong Kong.

LEIA MAIS:  Com vômito e amnésia, lutadora brasileira quase quebra o pescoço durante treino

Aos 33 anos, Poliana disputa o título da Copa do Mundo de maratona aquática com outras duas atletas. Rachele Bruni, da Itália, e Angela Maurer, da Alemanha são elas. Ana Marcela Cunha e Allan do Carmo, bronze na etapa anterior, em Chun’an, na China, são os outros representantes brasileiros. Na etapa chinesa, Poliana ficou em quinto lugar e Ana Marcela, em sexto. 

Em 2016, a equipe brasileira priorizou a preparação olímpica e, por isso, não participou de todas as etapas, como de costume. Pelo regulamento só podem disputar o título quem nadar o mínimo de cinco provas e, pelo menos, largar na última, em Hong Kong. Assim, Poliana Okimoto conseguiu permanecer na briga do título até a etapa decisiva.

LEIA MAIS:  Complexo de Deodoro recebe primeira competição de canoagem após Rio 2016

A brasileira está em segundo lugar, com 58 pontos, atrás somente da italiana Rachele Bruni - prata nas Olimpíadas deste ano - que possui 66 pontos. Ambas se ausentaram das mesmas maratonas do circuito, as duas em lagos canadenses e vão agora para sua quinta etapa. Na terceira posição está a veterana alemã Angela Maurer, com 49 pontos, que só não competiu na prova húngara e está matematicamente na disputa.

Apenas seis nadadoras completarão o mínimo de provas em Hong Kong e poderão disputar as premiações ao final para as seis primeiras: as já citadas Rachele, Poliana e Ângela, únicas que poderão conquistar o título de 2016, e ainda a americana Emily Brunemann (35 pontos), a russa Daria Kulik (34) e a alemã Svenja Zihsler (22). Ana Marcela, quarta colocada com 40 pontos, está fora desta disputa, pois irá agora para a sua quarta prova, o mesmo ocorrendo com Allan do Carmo, no masculino. Em Hong Kong, 31 nadadoras estão inscritas para a última etapa da Copa do Mundo. 

PARA POLIANA SER CAMPEÃ

A paulista ganha a etapa de Hong Kong, completa 78 pontos, e a italiana Rachele completa a prova fora dos TOP 5 (chegaria no máximo aos 76 pontos). Se Poliana ganha e Rachele chega na 5ª colocação, as duas empatam no ranking com 78 pontos. Se isso acontecer, tanto o título quanto a premiação final são divididas entre as duas.

O título da maratona aquática também virá para o Brasil se: Poliana for 2ª e Rachele ficar fora do TOP 6 (se ela for 6ª, elas empatam); Poliana for 3ª e Rachele ficar fora do TOP 7 (se ela for 7ª, elas empatam); Poliana for 4ª e Rachele ficar fora do TOP 8 (se ela for 8ª, elas empatam); Poliana for 5ª e Rachele ficar fora do TOP 9 (se ela for 9ª, elas empatam).

LEIA MAIS:  Um mês após fim da Olimpíada, empresas e torcedores temem calote

Resumindo, para ser campeã da Copa do Mundo de maratona aquática deste ano, Poliana tem que chegar entre as cinco primeiras e manter pelo menos quatro atletas entre ela e Rachele. Se Rachele chegar com apenas três atletas atrás, as duas empatam. Com apenas uma ou até duas atletas entre as duas, Rachele assume a ponta do ranking.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.