Tamanho do texto

Valdenice Conceição, bronze no Pan de Toronto, consegue ver os filhos Ismael e Cristiano apenas duas vezes por ano devido aos treinamentos e competições na canoagem de velocidade

Valdenice Conceição foi bronze no Pan de Toronto, na prova de C1 200m, e quer mais no Mundial
Wander Roberto/Inovafoto/COB
Valdenice Conceição foi bronze no Pan de Toronto, na prova de C1 200m, e quer mais no Mundial

Brasileira com maior destaque na canoagem de velocidade nos últimos Jogos Pan-Americanos , em Toronto, quando ficou com a medalha de bronze no C1 200m, Valdenice Conceição ainda comemora o resultado obtido e se considera preparada para mais um salto na carreira, agora no Mundial de Canoagem Velocidade e Paracanoagem, que será disputado a partir desta quarta-feira, em Milão (ITA).

“Estou preparada para o Mundial. Não dá para garantir que vou medalhar, mas tudo o que tinha de ser feito na preparação foi realizado da melhor forma”, disse a atleta, que depois do Pan de Toronto foi para Portugal, onde ficou treinando para o Mundial. A primeira eliminatória de Valdenice será nesta sexta-feira, às 4h45 (de Brasília).

Leia: Por mais vagas na Rio 2016, Isaquias abre mão de sua especialidade no Mundial

Valdenice posa ao lado do filho mais novo, Cristiano, de quatro anos
Reprodução/Facebook
Valdenice posa ao lado do filho mais novo, Cristiano, de quatro anos

A rotina de competições é bastante puxada e “proíbe” Valdenice de ver seus dois filhos, Ismael, de 8 anos, e Cristiano, de 4, com a frequência que gostaria. Desde 2013, quando foi formada a seleção brasileira permanente, ela só fica em casa por uma semana a cada seis meses, ou seja, vê as crianças duas vezes por ano. “No início era bem difícil, mas eles entenderam que é a minha profissão e aceitaram. Tenho de agradecer muito ao meu marido, que cuida deles quando não estou em casa”, explicou a canoísta, que mata a saudade por telefone e pelo computador.

Praticante de canoagem desde os 14 anos, por influência de seu irmão Vilson Nascimento, medalhista no Pan do Rio de Janeiro, em 2007, Valdenice tem como melhores resultados os terceiros lugares no Mundial de Moscou, em 2014, além do bronze em Toronto, todas na categoria C1 200m, mas seu sonho é disputar uma Olimpíada.

Porém, a prova em que a baiana de Itacaré é especialista não faz parte do programa de competições na Olimpíada do Rio 2016, algo que a deixa frustrada. “É triste. Muito ruim não poder competir em casa”, lamenta a atleta, de 25 anos.

Bronze no Pan de Toronto, Valdenice Conceição não poderá disputar a Olimpíada do Rio 2016
Flickr/CBCa
Bronze no Pan de Toronto, Valdenice Conceição não poderá disputar a Olimpíada do Rio 2016

Por outro lado, há cerca de duas semanas, a Federação Internacional de Canoagem (FIC) conseguiu fazer com que a modalidade seja incluída para o próximo ciclo olímpico, em 2020, nos Jogos de Tóquio. “A gente vem lutando para a inclusão da prova nas Olimpíadas desde o ano 2000 e é uma grande vitória para o esporte. Espero estar muito bem e em forma para realizar meu sonho, que é disputar os Jogos e subir ao pódio”, afirmou Valdenice, que compete pela Associação de Canoagem de Itacaré.

Segundo o técnico da atleta e atual treinador da seleção feminina de canoagem, Figueroa Conceição, o esporte precisa ter direitos iguais entre gêneros. “A gente fica muito frustrado por não poder disputar a Rio 2016, pois queremos os mesmos direitos dos homens, cada prova deveria ser disputada tanto no masculino quanto no feminino. Queremos direitos iguais”, afirma o comandante, que não perde a oportunidade para parabenizar Valdenice.

Leia ainda:  Por mais vagas na Rio 2016, Isaquias abre mão de sua especialidade no Mundial

“Eu a vi iniciar na carreira, seguindo os passos do irmão. Passou por dificuldades na vida e na carreira e é merecedora do reconhecimento que já tem e do sucesso que ainda terá no futuro”, completa Figueroa.

Na Rio 2016, o Brasil, por ser país-sede, já tem garantidas as vagas no C1 1000m masculino, K1 1000m masculino e K1 500m feminino. O Mundial de Milão será a primeira oportunidade do país conquistar mais vagas para os Jogos. A segunda chance acontece no Campeonato Pan-Americano de Canoagem Velocidade 2016, marcado para maio do ano que vem, nos Estados Unidos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.