Tamanho do texto

Ex-pugilista faleceu aos 67 anos na madrugada desta terça-feira vítima de câncer no fígado

selo

AFP
Joe Frazier, à direita, foi o primeiro lutador a derrotar o lendário Muhammad Ali, em 1971
A morte do norte-americano Joe Frazier , anunciada nesta terça-feira depois de o ex-campeão mundial dos pesos pesados não resistir a um câncer no fígado, foi lamentada por Muhammad Ali, considerado o melhor boxeador de todos os tempos e que travou com o seu compatriota o embate que é considerado até hoje a "Luta do Século". 

Frazier, que tinha 67 anos e morreu em sua casa, na Filadélfia, fez três memoráveis combates com Ali nos anos 70, vencendo um deles naquela que foi a primeira derrota do seu lendário adversário. Na época, Ali era famoso também por sua personalidade marcante e pelas provocações aos rivais. E Frazier não deixou de escapar da língua solta do norte-americano. Ele dizia que seu compatriota era feio e chegou a colocar em dúvida a virilidade do rival. Agora, porém, o ex-pugilista não deixou de prestar reverência ao ex-boxeador que é considerado outra lenda do boxe.

LEIA TAMBÉM: Joe Frazier morre de câncer de fígado aos 67 anos

"O mundo perdeu um grande campeão. Sempre me lembrarei de Joe com respeito e admiração", ressaltou Ali, para depois completar: "Minhas condolências para a sua família e para seus entes queridos". 

"Smokin Joe", como ficou conhecido Frazier, era um pugilista de baixa estatura, mas era considerado feroz no ringue e tinha um vasto repertório de golpes, entre eles um famoso gancho de esquerda. Foi com este golpe que ele derrubou Ali no 15.º assalto em 1971, no Madison Square Garden, em Nova York, quando cada pugilista faturou uma bolsa de US$ 2,5 milhões pelo combate, uma cifra sem precedentes para a época. 

Essa luta em Nova York foi vencida por Frazier após decisão dos juízes, e ele perdeu os outros dois combates que travou com Ali. A rivalidade entre os dois foi tamanha que apenas recentemente Frazier revelou ter perdoado o seu rival pelos insultos que sofreu nos seus tempos de boxeador.

As três lutas que os dois disputaram totalizaram 41 assaltos, sendo duas delas realizadas em Nova York e a outra travada sob um calor sufocante nas Filipinas, em Manila. Nesta, no caso, o próprio Ali admitiu ter sido castigado por Frazier, apesar de ter vencido o combate. "Foi o mais próximo de morrer que eu cheguei", disse, após o combate. 

George Foreman, outro ex-campeão mundial dos pesados que é considerado uma das lendas da história da modalidade, também expressou a sua tristeza com a morte do amigo. "Boa noite, Joe Frazier. Eu amo você, querido amigo", postou o ex-pugilista em sua página no Twitter, em uma breve mensagem. 

Bob Arum, que chegou a ser empresário de Muhammad Ali, foi outro que fez questão de reverenciar Frazier. "Foi uma pessoa que serviu de inspiração. Um homem decente. Um homem de palavra", disse, para depois ressaltar: "Ele deve ser lembrando como um dos maiores lutadores de todos os tempos". 

O filipino Manny Pacquiao, considerado um dos melhores boxeadores da atualidade, também exaltou Frazier nesta terça durante a sua chegada a Las Vegas, onde enfrentará o mexicano Juan Manuel Márquez no próximo sábado. "O boxe perdeu um grande campeão, e o esporte perdeu um grande embaixador", enfatizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.