Tamanho do texto

A equipe Columbia Vidaraid ganhou o Ecomotion/Pro pela segunda vez seguida. Depois de cumprir a prova, tudo o que os atletas queriam era descanso

Columbia Vidaraid comemora vitória no Ecomotion/Pro 2013
Divulgação/Ecomotion
Columbia Vidaraid comemora vitória no Ecomotion/Pro 2013

Depois de seis dias de prova e mais de 620 km percorridos, a equipe Columbia venceu o Ecomotion/Pro que aconteceu na semana passada na Costa do Cacau, região sul da Bahia. O bicampeonato foi comemorado, ainda mais diante da vice Segate, time da Nova Zelândia que é atual campeão mundial e líder do ranking: 

Leia mais: Trekking, bike, canoagem e natação: veja como é uma corrida de aventura de perto

"Sofremos fortes variações durante a prova. Fomos do céu ao inferno várias vezes e a nossa navegação foi determinante para a vitória", disse Barbara Bomfim ao cruzar a linha de chegada em Comandatuba. "Sabíamos que a Seagate era a grande favorita. Só achamos que poderíamos ter chance de superá-los quando soubemos que eles não estavam com o navegador oficial da equipe", completou a atleta, que levou o seu terceiro título consecutivo.

E mais:  "Equipamento obrigatório", mulher é campeã de resistência na corrida de aventura

Para chegar ao pódio, eles começaram o percurso da canoagem na Praia da Coroinha, em Itacaré. A primeira transição foi para o trekking e ali as equipes ainda estavam emboladas e quem liderava era a Segate. Com um trecho de natação noturna, a Columbia assumiu a liderança e não saiu mais do comando.

Agora, com o título nas mãos, a ordem é descansar. Juliana Povoação, namorada de Marco Aslem, estreante na Columbia, sempre acompanha o companheiro nas provas de corrida de aventura pelo mundo. Ela já teve até de dar banho em Marcos de tão exausto que ele chegou ao hotel. 

"Ele entrou no quarto e caiu no chão, do jeito que voltou da prova. Eu fui lá, tirei a roupa suja de lama e o coloquei na banheira. Ele mal abria o olho", conta Juliana. "Mas eu também estava pensando em mim. Ele não dormiria na minha cama daquele jeito", brinca. 

Segundo Rodrigo Martins, da QuasarLontra Kailash, depois de um mês dá para pensar em treinar para a próxima prova. "Quando chega tem que dormir umas 12 horas direto. Com isso, já recupera um pouco. Mas você fica meio sonolento, meio mole, ainda uma semana. Treinar mesmo é depois de um mês", diz o atleta que venceu o Ecomotion em 2010 e nesse ano ficou em quarto lugar. 

Mas quase todos os participantes da corrida não são profissionais e tem seus empregos. Para eles, a folga é mínima. "Tem que acabar até sábado e volta a trabalhar logo na segunda", fala Rafael Tenório, da equipe Oskaba, uma das últimas na prova baiana. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.