Tamanho do texto

Competição acabou neste final de semana e a seleção brasileira ficou entre as 20 melhores, com a conquista do bronze com Caio Bonfim

Em uma de suas melhores participações coletivas na história do Mundial de Atletismo, que terminou neste domingo, o Brasil deixa Londres com a conquista de lugares em nove provas finais. Uma destas, o 20 km marcha atlética masculina, deu ao Brasil a medalha de bronze, com Caio Bonfim, a única verde e amarela no campeonato.

Leia também: Veja quem foram as mais gatas do Mundial de atletismo de Londres 2017

Com estes resultados, a seleção brasileira ficou entre as 20 melhores do Mundial de Atletismo – foi o 19º com 21 pontos (considerados os atletas entre os oito primeiros de suas provas). Em outras três provas, o País teve finalistas que ficaram do 9º lugar ao 12º. Quatro atletas foram semifinalistas e outros dois – Talles Silva e Fernando Ferreira – marcaram 2,29 m no salto em altura e chegaram a um centímetro do recorde pessoal e a dois centímetros da vaga na final.

Caio Bonfim conquistou a única medalha brasileira no Mundial de Atletismo de Londres: o bronze na marcha atlética de 20 km
Anderson Rosa/CBAt
Caio Bonfim conquistou a única medalha brasileira no Mundial de Atletismo de Londres: o bronze na marcha atlética de 20 km

O presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), José Antonio Martins Fernandes, o Toninho, falou sobre os resultados finais da equipe brasileira.

“No final, tivemos atletas com boas marcas e colocações em várias provas”, disse Toninho Fernandes. “Poderíamos ter ainda melhores resultados, mas perdemos dois nomes importantes, por lesão”, afirmou Toninho, referindo-se a Thiago Braz, campeão olímpico do salto com vara, e Nubia Soares, quarta no Ranking Mundial do salto triplo.

Leia também: Medina faz final, mas perde para Julian Wilson no mundial de surfe em Teahupoo

O vice-presidente da CBAt, Warlindo Carneiro da Silva Filho, também gostou da performance coletiva da seleção.

“Tivemos quebra de recordes, vários finalistas, medalha numa prova nobre do Atletismo. Melhoramos em relação ao Mundial anterior, de Pequim 2015, quando tivemos uma medalha e dois finalistas. Importante lembrar que estamos trabalhando num planejamento olímpico, que engloba todo o ciclo, até Tóquio 2020”, ponderou.

Leia também: Jogador da NFL é suspenso em seis jogos por agressão à ex-namorada

Confira abaixo os resultados dos brasileiros

MEDALHA
Caio Bonfim – bronze na marcha atlética 20 km

FINAL
Erica de Sena – 4º na marcha atlética 20 km
Nair da Rosa – 5º na marcha atlética 50 km
Thiago André – 7º nos 800 m
Rosangela Santos – 7º nos 100 m
Revezamento – 7º no 4x100 m feminino
Geisa Arcanjo – 9º no arremesso do peso
Eliane Martins – 11º no salto em distância
Andressa de Morais – 11º no lançamento do disco

SEMIFINAL
Vitoria Rosa e Rosangela Santos – 200 m
Eder Souza – 110 m com barreiras
Marcio Teles – 400 m com barreiras

RECORDES SUL-AMERICANOS
Rosangela Santos – 100 m feminino (10.91)
Erica Sena – Marcha 20 km feminino (1:26:59)

RECORDE BRASILEIRO
Caio Bonfim – Marcha 20 km masculino (1:19:04)

MELHOR MARCA DO ANO
Revezamento – 4x100 m feminino (42.63 – 42.77 na preliminar)
Revezamento – 4x400 m masculino (3:04.02)

Outras opiniões

O chefe da delegação, Mauro Chekin, disse que o grupo todo “foi disciplinado e colaborativo. Foi fácil de conduzir a equipe.” Para Carlos Cavalheiro, treinador-chefe da seleção, “os resultados mostram a evolução de vários atletas, os resultados da marcha mostram isso”. Ele reconhece que alguns atletas ficaram abaixo das expectativas como Darlan Romani, no arremesso do peso: “O que houve com Darlan no Mundial de Atletismo foi atípico, ele vem fazendo boas apresentações há vários anos.”

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.