Tamanho do texto

A saltadora brasileira subiu ao pódio no estádio Ninho do Pássaro, fazendo história nas provas de salto com vara

Fabiana Murer sorri: é a segunda medalha de Mundial em sua carreira
AP Photo/Kin Cheung
Fabiana Murer sorri: é a segunda medalha de Mundial em sua carreira


Conforme pede o protocolo do Mundial de atletismo, a brasileira Fabiana Murer recebeu em Pequim, nesta quarta-feira, sua medalha de prata apenas um dia depois da conquista na final do salto com vara. 

Acompanhada pela cubana Yarisley Silva, a campeã, e pela grega Nikoleta Kyriakopoulou, a terceira colocada, Fabiana subiu ao pódio do estádio Ninho do Pássaro. Foi a segunda medalha de sua carreira em Campeonatos Mundiais. Antes de receber o prêmio, a atleta passou por uma bateria de entrevistas com emissoras internacionais e também cuidou do corpo, com sessões de fisioterapia. 

Leia também: Fabiana Murer supera drama de Pequim e conquista a prata

"Foi muito emocionante receber a medalha dentro do Ninho do Pássaro", disse Fabiana Murer, que foi vice-campeã do salto com vara com a marca de 4,85 m, a melhor de sua carreira e recorde sul-americano, alcançada pela terceira vez. "O estádio já estava bem cheio, mesmo 15 minutos antes de iniciar a sessão. Novamente, foi o Roberto Gesta de Melo ( ex-presidente da Confederação Brasileira de Atletismo ) quem me entregou a medalha. Também foi assim em Daegu, e foi muito legal estar de novo no pódio de um Mundial".

Agora, as expectativas da atleta e de seu estafe se voltam para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, naturalmente. Até lá, porém, ela segue em competição. Nesta quinta-feira, a atleta já embarca para Zurique, onde ainda vai disputar a etapa final do salto com vara na Liga Diamante. Ela foi campeã desse circuito internacional em 2010 e 2014.

Curiosamente, as três primeiras na classificação da Liga são as que ganharam medalhas em Pequim, com ordem inversa. A grega Kyriakopoulou é quem lidera, com 16 pontos. Fabiana vem em segundo, com 10, enquanto a cubana Silva, que também foi campeã pan-americana neste ano, vem em terceiro, com 7. 

"Tenho que ganhar e a Nikoleta não pode ficar além de terceiro. Vai ser outra prova bem difícil. A Nikoleta tem vantagem de estar na frente na corrida pelo diamante. A Yarisley também vai estar na prova. Zurique é um lugar no qual eu gosto muito de saltar, a pista é boa. Embora a Diamond League não seja o objetivo da temporada desde o início, quero saltar bem", disse a brasileira.

Confira as fotos do Mundial de atletismo:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.