Tamanho do texto

Medalhista de ouro nos Jogos de 1980 e 1984, britânico é o favorito na eleição do dia 19 contra ucraniano Sergey Bubka

Sebastian Coe foi o presidente do Comitê Organizador das Olimpíadas de Londres
Getty Images
Sebastian Coe foi o presidente do Comitê Organizador das Olimpíadas de Londres

O britânico Sebastian Coe, candidato à presidência da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), afirmou nesta quarta-feira que não apresentou candidatura para iniciar "guerra" contra o doping, mas sim para defender a modalidade.

"Não me apresento nestas eleições para limpar o esporte, que tem muitos valores e uma grande história. É um esporte extraordinário, o mais visto em Jogos Olímpicos. Isso não é uma cruzada para limpá-lo do doping", disse o ex-atleta, em mesa-redonda com três veículos de imprensa britânicos e a Agência Efe.

Leia também:
+ Reanálise de amostras de 2005 e 2007 aponta 28 casos de doping no atletismo
Atletas alemães acusam IAAF de destruir esporte com escândalo de doping

Medalha de ouro nos 1.500 metros nos Jogos Olímpicos de Moscou, em 1980, e Los Angeles, em 1984, Coe, de 58 anos, já foi presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres e desde 1997 ocupa uma das vice-presidências da IAAF.

"Me apresento por dois motivos: porque há um cargo vago e porque tenho a experiência necessária para dirigir este esporte, como atleta, organizador e político", garantiu o britânico.

Coe lamentou as notícias recentes sobre um suposto esquema para mascarar doping de atletas, como se o atletismo estivesse manchado por irregularidades, com alguns veículos comparando-o com o ciclismo.

"Estou muito irritado pela forma com que retrataram meu esporte ultimamente. Acho que não há nada que justifique estes ataques", garantiu o candidato.

Coe é o principal favorito no pleito de 19 de agosto, que decidirá quem sucederá o senegales Lamine Diack. O rival do britânico é o ucraniano Sergey Bubka.

"Muitas federações já me demonstraram apoio, europeias e de todo o mundo, como as da Jamaica, Nova Zelândia, Canadá e Papua Nova Guiné. Fico extremamente honrado", garantiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.