Tamanho do texto

Ex-atleta do salto triplo, duas vezes medalhista olímpico, estava internado desde o dia 13 por conta de um câncer de pulmão

Morreu na madrugada desta sexta-feira o ex-atleta do salto triplo Nelson Prudêncio, que estava internado desde o dia 13 de novembro na UTI Casa de Saúde de São Carlos (SP).

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Duas vezes medalhista em Jogos Olímpicos, Prudêncio descobriu recentemente que estava com câncer de pulmão quando, no começo do mês de novembro, procurou médicos por conta de uma tosse; na terça-feira, entrou em coma irreversível. Apesar disso, a causa da morte ainda não foi oficialmente divulgada.

Leia mais: Medalhista olímpico, Nelson Prudêncio está internado em coma

O atleta foi um dos grandes representantes da escola brasileira no salto triplo, seguindo a tradição que começou com Adhemar Ferreira da Silva. Em 1968, nos Jogos Olímpicos da Cidade do México, ele protagonizou uma disputa incrível pela medalha de ouro com o soviético Viktor Saneyev e o italiano Giuseppe Gentile, em uma prova onde o recorde mundial chegou a ser batido nove vezes. Com 17,27m, Prudêncio ficou com a medalha de prata, enquanto Saneyev levou o ouro e Gentile, o bronze. Quatro anos mais tarde, na Olimpíadas de Munique, Prudêncio ganharia outra medalha, desta vez de bronze, na mema prova.

O ex-atleta também era professor de educação física da UFScar (Universidade Federal de São Carlos), em São Paulo, e ocupava o cargo de vice-presidente da CBAt (COnfederação Brasileira de Atletismo).

Espírito Olímpico: O professor Nelson irá fazer falta

Em nota, a CBAt lamentou a morte de seu vice-presidente e anunciou luto oficial de 7 dias na entidade. Confira a nota oficial da entidade:

O BRASIL PERDE NELSON PRUDÊNCIO

O Brasil ficou menor. Em um País com poucos expoentes nas mais diferentes áreas de atividade, acabamos de perder uma das raras referências históricas de nosso desporto.

Deixou-nos o Mestre Nelson Prudêncio, duas vezes medalhista olímpico, recordista mundial do salto triplo, professor universitário, doutor, dirigente maior, conselheiro das novas gerações de desportistas, companheiro leal e participante sempre presente na luta pelo desenvolvimento da modalidade que tanto engrandeceu.

Educador nato, em todos os sentidos, homem de conciliação, jamais utilizava uma palavra áspera para se referir a pessoas ou fatos. Com sua fala cadenciada e pensamentos sempre elaborados com precisão, às vezes usando de fina ironia, transmitia com naturalidade seus conhecimentos e suas ideias, quer no exercício da cátedra quer no contato diário com aqueles que dele se acercavam.

Vice-Presidente incomparável da CBAt, convidei-o para ser Presidente da Entidade certo tempo atrás. Levei três amigos para procurar convencê-lo. Da forma fidalga que sempre o caracterizou, declinou da indicação. Uma pena, para quem tinha o perfil ideal para exercer qualquer função que escolhesse, em razão de sua formação completa. Ele fará muita falta aos novos dirigentes do Atletismo.

Homem de família, encontrou em sua esposa a companheira perfeita e nos filhos a sua continuidade como pessoas de bem.

Irei sempre me lembrar dele, e de alguns outros amigos diletos, como seres iluminados com quem tive o privilégio de conviver.

A CBAt está de luto oficial por 7 dias.

Roberto Gesta de Melo
Presidente da CBAt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.