Wandsworth
Reprodução
Wandsworth

O ex-tenista alemão Boris Becker foi condenado a dois anos e meio de prisão por falência fraudulenta .

Após a sentença, ele foi transferido para a prisão de Wandsworth, um prédio vitoriano de 170 anos. Segundo o tablóide Daily Mail, o local está tomado pelas drogas, infestado de ratos e também é marcado por episódios de violência entre os cerca de 1.300 presos.

De acordo com os jornais locais, o hexacampeão de Grand Slam está detido em uma das piores prisões da Inglaterra, onde a qualidade de vida é terrível. "Os presos passam mais de 22 horas por dia em celas em ruínas e há apenas seis chuveiros para 86 celas", publicou o Daily Mail, usando como fonte Charlie Taylor, inspetor-chefe das prisões.

“O uso de drogas e os problemas de saúde mental são muito altos por lá. Os funcionários da prisão usaram a força 1.295 vezes no período do relatório, quase quatro vezes por dia”, revelou Taylor.

Leia Também

O Daily Mail também relatou as primeiras horas de Becker como detento: "Fontes da prisão dizem que a estrela do tênis provavelmente passará até quinze dias em uma prisão de categoria B antes de ser transferida para uma prisão de categoria C. menos segura. Após ser sentenciado, Becker foi levado, com seus pertences pessoais em uma bolsa da Puma, em uma van da prisão para a viagem de 45 minutos pelo sul de Londres até a prisão, a menos de três quilômetros do Wimbledon, onde Becker ganhou o primeiro de três títulos em 1985, aos 17 anos", apontou.

E seguiu o relato: “Após esperar em uma área de recepção, ele provavelmente foi instruído a se despir e depois entrevistado para avaliar o risco de suicídio ou automutilação, antes de ser levado para uma cela, onde os novos presos ficam por três dias. Sua primeira noite provavelmente foi aterrorizante".

Existe, porém, uma pequena chance de Becker ter melhorias nas condições onde está preso. Isso só ocorrerá, segundo ex-dententos, se ele tiver sorte de ser transferido para a asa H, apelidada de 'o Ritz', onde ficaria fora de problemas e da violência corriqueira. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários