Tamanho do texto

Annemiek sofreu três fraturas na coluna e uma concussão cerebral severa e voltou aos treinos duas semanas depois do grave acidente

Quem se lembrar do nome Annemiek van Vleuten talvez tenha na memória o aterrorizante acidente que ela sofreu durante a prova de Ciclismo de Estrada das Olimpíadas do Rio , em agosto: em especial a imagem da holandesa sendo projetada da bicicleta como uma boneca de pano e se estatelando no asfalto.

Annemiek Van Vleute sofreu grave acidente em prova de ciclismo na Olimpíada 2016
Reprodução/Twitter
Annemiek Van Vleute sofreu grave acidente em prova de ciclismo na Olimpíada 2016


Annemiek van Vleuten não se recorda de muito mais. Mas é algo positivo, pois naquela curva, próxima à Vista Chinesa, seu sonho olímpico foi destruído. A apenas 10km do final de uma prova que ela liderava com alguma tranquilidade.

Rio 2016: Oito acertos e oito erros da Olimpíada

"Quando estava começando a descer a ladeira, pensei que não precisava descer como um louca. Até porque tinha começado a chover um pouco. Mas errei a tomada da curva. Minha lembrança seguinte é a de estar em uma cama de hospital e minha mãe ao telefone", contou a holandadesa, de 33 anos, à BBC Sport.

A mãe da ciclista assistia à prova pela TV na Holanda, no dia de seu aniversário, e acompanhou o drama da filha. E não foi apenas agonia materna: a colega de equipe de Annemiek, Anna van der Breggen, que acabaria vencendo a prova, achou que a compatriota tinha morrido quando passou - e não parou - pelo local do acidente.

Annemiek sofreu três fraturas na coluna e uma concussão cerebral severa. Mas duas de semanas depois do acidente já estava treinando novamente. Apesar da preocupação que casou na mãe. E da frustração.

Heróis, zebras e vilões: veja quem roubou a cena na Rio 2016

"Na primeira semana, sofri muito com a ideia de que cometi um erro estúpido quando estava para ganhar a medalha de ouro. Mas depois me dei conta de que pensar assim não iria me ajudar em coisa alguma. E aí comecei a traçar novos objetivos".

"Felizmente, as verbas que lesionei não estavam em um local perigoso das minhas costas, e eu nunca tive complicações mais sérias por causa da concussão. Ciclistas estão acostumados a cair pelo menos duas veze por ano. São ossos do ofício", explicou a holandesa.

Determinação 

Um mês depois do acidenre, Annemiek venceu o Tour da Bélgica, garantindo o título apenas na última corrida.

"Foi uma espécie de milagre. Mas Annemiek é muito forte", elogiou Anna Van der Breggen.

Neste domingo, Annemiek inicia sua participação no Mundial de Ciclismo, no Catar. Nas provas de estrada, a temperatura poderá chegar aos 40 graus. Para ela, vai ser menos sofrido do que falar sobre o acidente.

"Sempre querem falar comigo sobre o acidente em entrevistas, mas não quero mais ficar pensando nisso. Prefiro me concentrar no fato de que estava pedalando bem antes daquilo acontecer, melhor do que tinha feito antes. Estou orgulhosa de minha participação na Olimpíada, apesar de tudo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.