Tamanho do texto

Ministério do Esporte recebeu comunicado assinado pelo diretor-geral da Agência Mundial Antidoping, David Howman

David Howman, diretor-geral da Wada, enviou comunicado ao Ministério do Esporte
Getty Images
David Howman, diretor-geral da Wada, enviou comunicado ao Ministério do Esporte

O tempo é inimigo do Brasil na luta contra o doping. Faltando 17 dias para o fim do prazo dado pela Agência Mundial Antidoping (Wada) em novembro, o País ainda não avançou nas discussões a respeito de uma nova legislação antidoping. Caso, até 18 de março, não crie um tribunal centralizado e não estipule a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) como a única Autoridade de Teste no Brasil, o Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), inaugurado ano passado, será descredenciado.

Nesta terça-feira, o Ministério do Esporte revelou que o governo federal recebeu um comunicado assinado por David Howman, diretor-geral da Wada, cobrando auxílio na luta para que a legislação seja aprovada. A exigência estaria encontrando resistência nos tribunais esportivos das confederações, que perderiam poder.

"Como vocês estão em processo de finalização de sua legislação antidoping e das regulamentações da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) antes da data-limite da Wada, precisamos ressaltar a natureza imperativa do pedido da Wada para a ABCD, a Casa Civil e o escritório da Advocacia-Geral da União (AGU) para assegurar que seja criado um tribunal antidopagem único no Brasil por meio da legislação", escreveu Howman ao Ministério do Esporte.

No texto, ele volta a deixar claro que a necessidade de mudança. "A criação desse tribunal é um passo significante e importante para o esporte limpo no Brasil, e a sua existência não pode ser comprometida. Além disso, para reforçar a independência da ABCD é importante que a organização nacional antidopagem não seja influenciada pelas federações nacionais. Um tribunal desse tipo reforçará essa independência", garantiu.

Caso o Brasil não aprove uma nova legislação, a Wada vai declarar o Brasil como estando em "não conformidade" com o código mundial antidoping. O LBCD, recredenciado ano passado, perderia a credencial e ficaria impossibilitado de realizar testes antidoping durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio-2016.