Tamanho do texto

IAAF abre processo contra atletas flagrados em novos exames feitos nos Mundiais de atletismo de Helsinque e Osaka

Instalações do LBCD (Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem)
Divulgação/Roberto Castro/ME
Instalações do LBCD (Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem)

A IAAF (Federação Internacional de Atletismo) divulgou nesta terça-feira que reanálise feita em exames antidoping realizados nos Campeonatos Mundiais de 2005, em Helsinque, em Osaka, em 2007, levou a abertura de expediente disciplinar contra 28 atletas.

A entidade mantém política de armazenamento amostras, para que durante o período de dez anos, novas avaliações possam ser feitas, com métodos de detecção de substâncias proibidas desenvolvidos mais recentemente. O procedimento já levou à suspensão de nove atletas.

Leia também:
+ Atletas alemães acusam IAAF de destruir esporte com escândalo de doping

Em 2012, a IAAF realizou uma primeira rodada de reanálise de amostras de urina, feitas durante o Mundial de Helsinque, dez anos atrás. O material estava armazenado no laboratório de Lausanne e detectou os seis primeiros casos de doping deste novo método.

Em abril passado, foi feito uma nova rodada, com relação a competição realizada na capital finlandesa e na cidade japonesa de Osaka, apontou para 32 novos resultados positivos, referentes a 28 atletas, conforme anunciou a IAAF.

"Devido aos condicionantes legais, nenhum desses atletas podem ser anunciados ainda", explicou a entidade, por meio de comunicado.

Todos que ainda estiverem na ativa, contudo, estarão previamente suspensos para a edição deste ano do Campeonato Mundial de Atletismo, que acontecerá em Pequim, na China.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.