iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

28/12 - 10:09

Ídolo do futsal, Vander revela emoção especial ao vencer com as mulheres

Técnico venceu a Copa do Mundo, na Espanha, no comando da seleção brasileira feminina de futsal

Gazeta Esportiva


A carreira de Vander Iacovino no futsal é inquestionável. Bicampeão mundial como atleta, o atual técnico ostenta cargos importantes na Confederação Brasileira: é auxiliar da seleção do técnico Marcos Sorato, o Pipoca, e comandante da categoria sub-20 do país. Porém, o ex-ala também aceitou o desafio de liderar a equipe feminina do país que lhe reservou um momento inesquecível neste mês de dezembro: a conquista da Copa do Mundo da Espanha.

"É o título mais importante da minha carreira como técnico", define Vander Iacovino. "Foi um trabalho iniciado em 2009 e, oito meses depois, você conquista um Mundial. Fica marcado para qualquer um", emenda.

Na caminhada brasileira, Vander ressalta que a desconfiança foi o grande combustível de motivação. A campanha da equipe canarinho não deixou dúvidas: quatro vitórias e um empate, com 39 gols marcados e apenas três sofridos. Na decisão, uma vitória respeitável diante das portuguesas por 5 a 1.

"Quando chegamos lá, falaram que o Brasil era a quarta ou quinta força do torneio. Na teoria, Espanha, Rússia, Japão e Portugal estavam na nossa frente. Mas desenvolvemos um bom trabalho, com um importante período de treinos em Fortaleza. Com muito empenho, vimos a nossa verdadeira capacidade", elogia Vander Iacovino.

A experiência com as meninas brasileiras ainda rendeu momentos de aprendizado ao consagrado Vander, dono de uma perna esquerda mágica na época de jogador. "Alguns atletas do masculino chegam para treinar contigo com vícios complicados de corrigir. Já as meninas mostram-se mais preocupadas em aprender", compara.

Após o título mundial, Vander aposta na evolução do futsal feminino brasileiro. Porém, as meninas do país devem sofrer, em maior proporção, o mesmo problema do masculino na questão de patrocínios. "Esperamos alavancar esse esporte, com a criação da Liga Nacional feminina, além de proporcionar uma maior cobertura da mídia e investimentos de patrocinadores", projeta o treinador, que dirigiu a seleção principal masculina no Mundial de 2000 - foi vice-campeão.

Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias