iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

14/09 - 15:12

Campeão em 2007, "frustrado" Camilo lamenta lesão no Mundial
Lesão na região inguinal foi causada por um trauma durante a derrota diante do grego Ilias Iliadis

Gazeta Esportiva

Campeão mundial em 2007, Tiago Camilo teve sua trajetória na edição deste ano da competição abreviada por uma lesão. Depois de terminar na sétima colocação da categoria até 90kg, ele lamentou a contusão ao desembarcar em Guarulhos na manhã desta terça-feira.

"Volto com o gosto de que poderia ter sido melhor. Eu fiz boas lutas, mas sair da forma que saí é frustrante. Eu tinha chance de ganhar medalha. Agora, tenho que descansar, me recuperar e levantar a cabeça para os próximos campeonatos", declarou o judoca brasileiro.

A lesão na região inguinal foi causada por um trauma durante a derrota diante do grego Ilias Iliadis. Após o revés na quarta luta, ele foi medicado e decidiu se manter na disputa. No entanto, ao iniciar o combate com o russo Kirill Denisov, na repescagem, voltou a sofrer com dores intensas e preferiu abandonar.

"Na hora que senti, tentei não mostrar e fui medicado na área de aquecimento. No intervalo, o corpo esfriou e a dor aumentou. Na hora de lutar, voltou a doer na hora que fiz força", explicou o judoca, que precisa permanecer 30 dias em repouso. "Depois dos ciclos de competição, a gente costuma descansar mesmo", minimizou.

Aos 28 anos, Tiago Camilo é um dos maiores judocas brasileiros em atividade. Nos Jogos de Sidney-2000, ele conquistou a medalha de prata na categoria até 73kg. No Mundial do Rio de Janeiro-2007, levou o ouro já no segmento até 81kg. No mesmo peso, ainda foi bronze nas Olimpíadas de Pequim-2008.

No Mundial de Roterdã-2009, a delegação brasileira passou em branco e voltou sem medalhas. Um ano depois, Leandro Cunha (prata), Leandro Guilheiro (prata), Mayra Aguiar (prata) e Sarah Menezes (bronze) recolocaram o País no pódio do torneio realizado no Japão.

Para Camilo, apesar de seu imprevisto, a campanha nacional no Japão foi satisfatória. "O mais importante é saber que a seleção competiu muito bem. Todo mundo avançou nas lutas e mostrou que o Brasil não vive só de um resultado esporádico", encerrou o judoca.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias