iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

21/05 - 17:41

Grand Slam de Judô terá elite brasileira no RJ neste sábado

Na competição que começa neste sábado, a seleção brasileira já não terá força máxima

Gazeta Esportiva

O Grand Slam de Judô teve a abertura oficial nesta sexta-feira (21), no Maracanãzinho, palco da competição deste fim de semana (22 e 23), com a presença de vários dirigentes, políticos e todos os atletas do Brasil que disputarão o torneio. A fase classificatória começa neste sábado às 9h30min nas categorias -48kg, -52kg, -57kg, -63kg, -60kg, -66kg e -73kg, com as finais às 16h30min. O Brasil, por ser o país sede, terá quatro equipes na competição. Serão 360 judocas de 40 países.

O presidente da Confederação Brasileira de Judô, Paulo Wanderley Teixeira, ressaltou o orgulho de realizar uma competição em solo olímpico. "É um prazer estar de volta ao Maracanãzinho depois do sucesso do nosso Grand Slam em 2009. Agora a responsabilidade é ainda maior, uma vez que estamos dentro de uma instalação olímpica e os olhos do mundo estão voltados para a sede dos Jogos Olímpicos de 2016", afirmou o dirigente da CBJ, que comemorou a presença estelar dos melhores atletas brasileiros no Rio de Janeiro.

"Todos nossos medalhistas em atividade estarão presentes, além de jovens talentos do nosso esporte já que nos orgulhamos de dizer que somos uma fábrica de campeões", disse  Wanderley.

Esporte esse que garante medalhas olímpicas ao Brasil desde os jogos de Los Angeles 1984, o judô será uma das modalidades com maior responsabilidade nas Olimpíadas do Rio 2016. Referência do judô do Rio de Janeiro nos últimos anos, o medalhista olímpico Flávio Canto ressalta a importância de um evento com o Grand Slam para o fomento do esporte.

"O Governo está de parabéns em trazer para o Rio um evento deste nível. Será uma chance única para as crianças estarem perto dos seus ídolos e também de judocas que estão acostumadas a verem apenas pela TV. O Rio de Janeiro ganha muito com um evento desta dimensão", afirma o medalhista olímpico Flávio Canto.

Na tarde desta sexta-feira, também no Maracanãzinho, foi realizado o Congresso Técnico do Grand Slam, onde todos os confrontos foram definidos. Para o técnico da seleção masculina do Brasil, Luiz Shinohara, não haverá luta fácil no Grand Slam do Rio.

"Não se pode lutar um Grand Slam e esperar cair numa chave fácil. Todos os atletas e a comissão técnica estão cientes que o desafio é grande. Na verdade, a análise crua da chave pode não refletir a realidade da competição, pois, no judô, o que faz a diferença é como o atleta está na hora do torneio", comentou Shinohara.

A técnica da seleção feminina, Rosicléia Campos, vê dificuldades para suas comandadas na competição, mas as enxerga como uma chance de aprendizado. "O Grand Slam está duro, não tem nenhum atleta que fará sequer uma luta mais tranquila. Mas isto demonstra o alto nível do evento, algo muito próximo do que vemos em mundiais", analisou Rosicléia.

Brasil terá algumas baixas por condição física
Na competição que começa neste sábado, a seleção brasileira já não terá força máxima. Quatro mulheres e dois homens, dentre eles a medalhista olímpica Ketleyn Quadros, não terão condições de pisar no tatame por conta de lesões.

Veja a lista dos atletas que foram cortados do Grand Slam:

Categoria até 57kg:
- Sai Ketleyn Quadros, entra Katherine Campos

Categoria até 70kg:
- Sai Nathalia Bordignon, entra Juliana Vasquez
- Sai Helena Romanelli

Categoria até 78kg:
- Sai Claudirene Cezar

Categoria até 73kg:
- Sai Marcelo Contini, entra Adriano Santos

Categoria até 100kg:
- Sai Leandro Gonçalves, entre Carlos Honorato


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias