iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

21/12 - 21:09

Cielo e Menezes agradecem a técnicos e familiares por prêmio

Nadador e judoca foram os melhores no Prêmio Brasil Olímpico de 2009, dado pelo Comitê Olímpico Brasileiro

Gazeta Esportiva

O nadador César Cielo e a judoca Sarah Menezes foram escolhidos como melhores atletas do ano no Prêmio Brasil Olímpico de 2009, dado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Cielo, campeão mundial e recordista dos 50m e 100m livres, conquistou o bicampeonato com 77% dos votos. Concorriam também Diego Hypolito e Torben Grael. Já Sarah Menezes conquistou o prêmio pela primeira vez, com 46% dos votos, superando Poliana Okimoto, da maratona aquática e Natália Falavigna, do taekwondo.

Em 2009, Cielo ganhou os 50m e 100m livres do Mundial de Esportes Aquáticos de Roma, encerrado em agosto, com direito a melhor marca da história na segunda disputa:46s91. Na última sexta-feira, em São Paulo, o nadador quebrou o recorde também dos 50m livres, com 20s91, no Troféu Open de Natação.

Com os feitos, o brasileiro será o primeiro nadador a encerrar o ano como campeão mundial e recordista das duas provas. Cielo treina na Universidade de Auburn, nos Estados Unidos, com o australiano Brett Hawke. No entanto, passou os últimos seis meses em São Paulo, com Albertinho Silva, que o treina desde que o campeão olímpico em Pequim-2008 tinha 16 anos de idade.

"Quero agradecer à família em primeiro lugar, a meus técnicos, o Brett e o Albertinho, que vêm fazendo uma dupla sensacional. Eles apostaram em mim desde o começo. Também quero agradecer ao pessoal que veio aqui assistir e que votou em mim, sei que quero continuar com esses resultados até as Olimpíadas de 2012 e quero trazer mais medalhas. Espero contar com a torcida de vocês até o próximo ciclo olímpico", disse Cielo.

Já Sarah Menezes, de apenas 19 anos, tem como principal triunfo na temporada a medalha de bronze conquistada no Grand Slam de Tóquio, no Japão. A brasileira também foi a primeira atleta a sagrar-se bicampeã mundial júnior e ganhou outras cinco medalhas em torneios internacionais: ouro nas Copas do Mundo de Madri, na Espanha, e de Lisboa, em Portugal; prata na Copa do Mundo de Belo Horizonte; bronze no Grand Slam do Rio de Janeiro, e bronze no Campeonato Pan-americano de Buenos Aires, na Argentina

"Estou muito feliz por ter concorrido a esse prêmio com duas grandes atletas, a Poliana e a Natália. Estou muito feliz, esse prêmio veio para dar um incentivo a mais para mim. O judô é o esporte individual mais coletivo que tem. Tive suporte dos meus colegas de seleção brasileira, que treinaram comigo, da minha família, que me apoiou, e em especial ao meu técnico Expedito Falcão", declarou a vencedora.

A vitória de Sarah representa ainda a quebra de um jejum do judô no Prêmio Brasil Olímpico. A última vez que um atleta da modalidade havia ficado com a honraria foi em 2005, quando João Derly foi homenageado.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias