iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

27/08 - 08:24, atualizada às 11:17 27/08

Rafaela Silva perde bronze; Guilheiro é eliminado do Mundial
Brasileira de apenas 17 anos chegou até a segunda luta da repescagem, mas foi derrotada por ippon e ficou sem medalha

Redação iG Esporte com agências


ROTERDÃ (Holanda) - Rafaela Silva, atleta mais jovem da delegação brasileira, chegou perto da medalha de bronze no Mundial de Judô, disputado em Roterdã, na Holanda. Com apenas 17 anos, a brasileira chegou até a repescagem na categoria até 57 kg, mas perdeu para a atleta do Azerbaijão Kifayat Gasimova por ippon. Ela foi a melhor judoca do Brasil nesta quinta na competição.  

Na fase classificatória, Rafaela venceu as duas primeiras lutas por ippon sobre Adriana Pineda, da Costa Rica, e Marti Malloy, dos Estados Unidos. Depois, perdeu nas quartas-de-final para a japonesa  Kaori Matsumoto por yuko (dois shidos). Mesmo com a derrota, a brasileira garantiu lugar na repescagem e começou a briga pelo bronze com um triunfo por wasari sobre Chen-Ling Lien, de Taipei, faltando pouco mais de um minuto de confronto.

Na luta que valia a medalha, Rafaela Silva encarou Kifayat Gasimova, do Azerbaijão. Quando faltavam três minutos para o fim do tempo regulamentar, a brasileira sofreu uma "varrida", sendo projetada ao chão e concedendo a terceira colocação à rival por um ippon (golpe perfeito) .

Com os resultados, Rafaela, que foi formada pelo projeto social do judoca Flávio Canto no Rio de Janeiro, igualou a marca da compatriota Sarah Menezes. A outra caçula da equipe, com 19 anos, e campeã mundial juvenil, também chegou até a respecagem, mas perdeu a acabou em quinto lugar até 48 kg.

Com as derrotas de Menezes e Silva na rodada final da repescagem em suas respectivas categorias, o último pódio conquistado pela seleção nacional feminina de judô em Mundiais continua sendo o de Edinanci Silva, bronze em Osaka-2003. Edinanci também levou o bronze no campeonato de 1997, em Paris, e Danielle Zangrando ficou com a mesma medalha em 1995, em Tóquio.

Leandro Guilheiro é eliminado
Leandro Guilheiro, medalhista de bronze em Pequim e Atenas, era o principal nome do Brasil na disputada desta quinta, mas ele não conseguiu repetir o bom desempenho no Campeonato Mundial. O brasileiro venceu a primeira luta na categoria até 73 kg sobre o suíço David Papux por ippon. Na sequência, passou pelo búlgaro Stefan Shopov também por ippon, mas foi eliminado no terceiro duelo, ainda nas oitavas-de-final por Rinat Ibragimov, do Kazaquistão, com outro ipoon.

Considerado o primeiro grande judoca canarinho a entrar no tatame neste Mundial, Leandro afirmou que já considerava Ibragimov o oponente mais difícil de sua chave. "Era um adversário perigoso e fiquei em uma posição na qual não tinha mais opção para escapar".

Com a derrota, Guilheiro perdeu as chances até de tentar a terceira posição através da repescagem e assim continuou sem resultados expressivos em competições desse porte - sua melhor campanha data de 2005, quando no Cairo foi o sétimo colocado.

A lamentação do judoca é ainda maior porque se considerava pronto fisicamente para brilhar. "É uma pena. Nos outros Mundiais eu não estava bem e, desta vez, estava 100%", disse ele, que na última edição das Olimpíadas subiu ao pódio mesmo com uma lesão no ombro.

Érika Miranda, melhor brasileira no Mundial de 2007, no Rio de Janeiro, com a quinta colocação, também não chegou até a briga por medalhas. Depois de vencer a indiana Kalpana Devi Thoudam na categoria até 52 kg, Érika perdeu para a cubana Yanet Bermoy, que ficou com a prata, e acabou fora da competição.


Leia mais sobre: Mundial de judô Leandro Guilheiros Rafaela Silva Érika Miranda

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias