iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

06/02 - 16:02

Com judocas mulheres, Brasil estreia neste sábado na França

Ketleyn Quadros, Sarah Menezes, Daniela Polzin e Camila Minakawa disputam o Grand Slam de Paris

Gazeta Esportiva

PARIS (França) - Primeiro torneio do novo circuito mundial da Federação Internacional de Judô (FIJ), o Grand Slam de Paris inicia suas disputas neste sábado, em sete categorias (quatro femininas e três masculinas). E, logo no primeiro dia, o Brasil colocará todas as suas judocas no tatame.

Além da leve Ketleyn Quadros, medalha de bronze em Pequim, defenderão as cores verde-amarelas a ligeiro Sarah Menezes, a meio-leve Daniela Polzin e a meio-médio Camila Minakawa. No domingo, entrarão em ação o médio Hugo Pessanha e o meio-pesado Luciano Correa, campeão mundial de sua categoria.

"Dá um nervosismo, mas estou bem tranquila. Os outros atletas estão passando um pouquinho da experiência e sei que estou treinada para buscar um bom resultado. O Grand Slam de Paris será de altíssimo nível mais uma vez. Dei uma olhada na lista de inscritos e, apesar de não conhecer pessoalmente as atletas, sei do potencial delas. Não é para menos, pois todo mundo vai estar focado em conquistar pontos no ranking", afirmou Minakawa, bronze no mundial júnior 2008 e que compete pela primeira vez com o time sênior.

A partir desta competição, os atletas já estarão enquadrados ao novo sistema de classificação olímpico. Ao contrário dos outros jogos, quando a disputa começava apenas dois anos antes dos Jogos e a vaga era do país, para 2012 a corrida já começou e quem se classifica é o atleta. O Grand Slam de Paris distribui 300 pontos para a medalha de ouro, 180 para a prata e 120 para o bronze.

Com a vaga sendo nominal ao atleta, será necessário dar volume de competição para os judocas para que marquem pontos no ranking mundial. Em 30 de abril de 2012 serão conhecidos os 22 homens e 14 mulheres em cada uma das 14 categorias de peso (sete femininas, sete masculinas) com passaporte carimbado para a Inglaterra, respeitando-se o limite de um por país. Caso haja dois representantes da mesma nação, cabe à Confederação Nacional determinar aquele que irá aos Jogos.

A esses 252 atletas se juntarão os 14 do país sede, 20 convites da Federação Internacional e outros 100 atletas classificados através de um ranking único (de gênero e categoria) de cada união continental (na Pan-América são 21 vagas, 13 no masculino e 8 no feminino, respeitando-se no máximo de dois indicados por categoria e um no máximo por país entre homens e mulheres).

Com isso, o ano do judô mundial agora se encerra em 30 de abril. Assim, o primeiro "ano" de competição vai de 1 de janeiro de 2009 a 30 de abril de 2009. O segundo "ano" vai de 1 de maio de 2009 a 30 de abril de 2010. O terceiro começa em 1 de maio de 2010 e termina em 30 de abril de 2011 e o último é de 1 de maio de 2011 a 30 de abril de 2012.

Apenas os campeonatos mundiais, Masters, Grand Slams, Grand Prix, Copas do Mundo e campeonatos continentais disputados nesse período contam pontos para a lista final. No ranking de 2012, os pontos conquistados no primeiro terão sido desvalorizados em 75% (ou seja, quem marcou 100 pontos até maio de 2009 terá apenas 25 pontos em abril de 2012). Os do segundo ano valerão 50%, do terceiro ano 75% e os do último ano terão seu peso integral de 100%.


Leia mais sobre:

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias