iG - Internet Group

iBest

brTurbo

 

Mais Esportes

25/11 - 13:19

Penalber admite doping e passa a se espelhar em Derly e Maurren

Judoca pode ser afastado do esporte por até dois anos se for considerado culpado pelo uso do diurético furosemida

Gazeta Esportiva

RIO DE JANEIRO - Flagrado no exame antidoping do Mundial de Judô por Equipes, o brasileiro Victor Penalber confessou nesta segunda-feira ter feito uso do diurético furosemida. O jovem de 18 anos, contudo, afastou a possibilidade de deixar o acontecimento atrapalhar sua promissora carreira e passou a se espelhar em ídolos que já foram suspensos por uso de substância ilegal e conseguiram brilhar.

"Acabei tomando essa substância de uma forma inocente, de bobeira mesmo", declarou Penalber, em entrevista à Rede Globo. Competidor da categoria leve (-73 kg), o judoca poderia se beneficiar do uso do diurético para mascarar outras substâncias presentes em seu organismo. Mas o judoca negou.

“Não fiz uso da substância para tirar vantagem. Foi mesmo um vacilo”, prosseguiu Victor Penalber. “Não adianta agora negar, e sim agüentar as conseqüências”, complementou o brasileiro, suspenso preventivamente pela Confederação Brasileira de Judô e que pode ser afastado do esporte por até dois anos se for considerado culpado em seu julgamento, com data ainda a ser definida.

Por enquanto, a revelação do judô brasileiro tenta repetir os passos de outros dois atletas importantes do esporte brasileiro: o também judoca João Derly, flagrado no antidoping em 2002, e a saltadora Maurren Maggi, que testou positivo para substâncias ilegais em 2003.

“Tento pensar que o João e a Maurren foram pegos no antidoping no passado e também voltaram muito bem de suas suspensões”, projetou Penalber. João, que também acusou um diurético, se sagrou bicampeão mundial dos meio-leves em 2005 e 2007. Já Maurren, flagrada com clostebol, conquistou a medalha de ouro do salto em distância dos Jogos Olímpicos de Pequim este ano.


Leia mais sobre: Mundial de Judô Victor Penalber

> Você tem mais informações? Envie para Minha Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG


Topo
Contador de notícias