Tamanho do texto

Evento de junho deverá ter o maior impacto econômico de todos, além de contar com público recorde no Engenhão

Recorde de público do UFC aconteceu em maio, em Toronto, com 55 mil pessoas
Reprodução
Recorde de público do UFC aconteceu em maio, em Toronto, com 55 mil pessoas
Um evento de valores astronômicos, estádio de futebol lotado e transmissão para mais de cem países. A terceira edição do UFC no Rio de Janeiro , em junho, tem tudo para se tornar a maior da história. Com o anúncio da revanche mais aguardada do Ultimate entre Anderson Silva e Chael Sonnen , o UFC Rio III caminha a passos largos para quebrar a maioria dos recordes das outras edições do torneio.

Veja também: Chefão do UFC frustra SP, e revanche entre Anderson e Sonnen será no Rio

Para começar, o retorno do Ultimate ao Rio de Janeiro tem boas chances de gerar mais recursos para a capital fluminense do que em qualquer outra cidade que já sediou o evento.

UFC
Anderson Silva fará a revanche mais aguardada da história do UFC contra Sonnen
De acordo com estudo feito pela empresa de consultoria independente Applied Analysis, o primeiro UFC Rio teve um impacto econômico de US$ 41,6 milhões (R$ 75 milhões) no município. A pesquisa considera gastos com hotéis, alimentação, transporte, entretenimento e comércio.

Confira ainda: Irônico, Sonnen faz exigência e mantém mistério sobre revanche

O número só é superado por dois outros shows: O UFC 100, em Las Vegas, que movimentou US$ 51,5 milhões em 2009, e o UFC 129.em Toronto, que gerou retorno US$ 45 milhões à cidade canadense.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores do UFC

Vale lembrar que a primeira edição do torneio em terras cariocas contou com a participação de pouco mais de14 mil pessoas na Arena HSBC. Já a terceira passagem pelo Rio de Janeiro deve lotar o estádio Engenhão. Ou seja, o recorde de milhões movimentados em uma cidade seria facilmente quebrado.

Leia também: Chael Sonnen lança livro "A Voz da Razão" e volta a provocar Brasil

Ao todo, o Engenhão tem capacidade para pouco mais de 45 mil pessoas. Mas com a ocupação do gramado, o estádio poderia quebrar com tranquilidade o recorde de público da franquia. Atualmente, o UFC 129 é o primeiro da lista com a presença de 55 mil fãs no Rogers Centre.

Na última quarta-feira, o presidente Dana White falou em levar 80 mil pessoas à praça esportiva, o que não deve acontecer. Mesmo assim, o número de torcedores deve ser suficiente para bater o recorde.

Veja também: Em reunião com ministro francês, Belfort faz lobby para legalizar MMA no país

Por se tratar de uma das lutas mais aguardadas da história do torneio, o confronto entre Anderson Silva e Chael Sonnen deve motivar mais duas quebras de recordes: a de venda de pay-per-view nos Estados Unidos e a de telespectadores espalhados no mundo.

Até hoje, o UFC 100 lidera a lista de pay-per-view com a venda de 1,6 milhão de pacotes no país – número que tem boas chances de ser ultrapassado com a disputa do cinturão dos médios. Além disso, a transmissão do UFC Rio acontecerá para mais de cem países - por meio de canais locais e da Globo Internacional – o que seria um novo marco para a entidade.

Primeiro UFC Rio movimentou mais de R$ 75 milhões na cidade
AE
Primeiro UFC Rio movimentou mais de R$ 75 milhões na cidade

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.