Tamanho do texto

Em entrevista ao iG, o campeão dos penas falou sobre a preparação para o evento do dia 14 de janeiro

José Aldo intensificou a preparação para o UFC Rio II em janeiro
UFC
José Aldo intensificou a preparação para o UFC Rio II em janeiro
José Aldo está próximo de atingir um novo patamar de popularidade no Brasil. O amazonense terá sua vida retratada no cinema e será interpretado pelo astro global Malvino Salvador. Mas o retorno do UFC ao Rio de Janeiro fez o lutador esquecer tudo sobre o filme. Próximo de protagonizar o próximo evento no Brasil , o campeão dos penas deixou toda a badalação de lado e mudou a rotina de treinamentos.

Veja também: UFC 140 tem Lyoto, irmãos Nogueira e cinturão. Assista ao trailer

Em entrevista ao iG , José Aldo disse que se afastou de tudo relacionado ao filme para concentrar a atenção no combate. O brasileiro defenderá o cinturão do UFC no dia 14 de janeiro contra o norte-americano Chad Mendes e não quer pensar em nada além da noite na Arena HSBC.

“Não quero ficar ligado nisso e não quero saber nada desse lance de filme por enquanto. Estou tentando não fugir do treino. Esse é a minha característica, é o que eu gosto de fazer. Se puder, vou treinar todo dia e fazer só isso. Deixo essa parte de fora para meus empresários. Esse é o papel deles, o meu é treinar e lutar”, afirmou o atleta.

Confira ainda:  Chael Sonnen muda alvo e abre discussão com ring girl do UFC

Aldo também aproveitou para falar sobre a chance de participar de um evento em casa pela primeira vez desde que entrou para o UFC e comentou a respeito da preparação para o confronto. Confira os principais trechos da entrevista:

iG: Como estão os treinos? Em qual etapa da preparação você se encontra?
José Aldo:
Está tudo ótimo. Comecei já a treinar mil por cento e estou pegando forte a parte física. Não estava parado, mas agora comecei a intensificar a preparação. Só falta chegar na hora da luta e dar o máximo.

iG: E como você preparou o ciclo de treinamento para o combate? Ele foi definido um pouco em cima da hora...
José Aldo:
Estou fazendo um pouco de tudo e tive que mudar algumas coisas pelo fato de ter só dois meses para a luta. O Dedé [Pederneiras, técnico] está ditando um ritmo bem alto. Ele também está pensando na estratégia, mas vai passar só mais para frente. É um cara que gosta disso.null

iG: O seu treinador, Dedé, afirmou que o Chad Mendes tem um estilo similar ao do Mike Brown, que você venceu em menos de dois rounds. Está esperando um rival parecido?
José Aldo:
Ele tem o estilo do Mike Brown, do Urijah Faber, do Manny [Gamburian]... Que é botar para baixo. Já esperávamos algo assim, um wrestler. Estamos fazendo o treinamento voltado para isso e pegamos algumas pessoas parecidas para praticar. Mas luta é luta. Você nunca sabe o que vai acontecer. Tenho que chegar lá e arrebentar!

Josh Hedges/UFC
Chad Mendes deve apostar nas quedas para vencer Aldo no Rio de Janeiro
iG: Como está planejando a próxima temporada? Tem interesse em realizar quantas lutas?
José Aldo:
Três vezes, no mínimo, seria o ideal. Estou muito novo e não lutei tanto assim em 2011 [duas vezes]. Quero lutar bastante, o máximo que der para limpar a categoria. Se conseguir lutar três vezes já estará bom.

Veja também: Rival de José Aldo vira vascaíno antes de enfrentar o campeão

iG: Você sempre lutou nas cidades onde moravam seus adversários e agora a história será invertida. O que muda no fato de ter a torcida ao seu lado?
José Aldo:
Para mim é tranquilo lutar em casa ou fora. Na verdade, não vejo problema em nenhum dos dois. Se eu estiver bem preparado, pode ser aonde for que vou cumprir meu papel. Mas é claro que ter a torcida gritando seu nome é bem melhor. Ainda contarei com o apoio de familiares e amigos no Rio de Janeiro. Isso só irá me ajudar mais.

iG: Como está a produção do filme sobre a sua vida? Está acompanhando de perto?
José Aldo:
Nem um pouco. Na verdade, me encontrei com o Malvino Salvador e foi só isso. Não quero ficar ligado nisso e não quero saber nada desse lance de filme por enquanto. Estou tentando não fugir do treino. Esse é a minha característica, é o que eu gosto de fazer. Se puder, vou treinar todo dia e fazer só isso. Deixo essa parte de fora para meus empresários. Esse é o papel deles, o meu é treinar e lutar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.