Tamanho do texto

Lutador holandês pode pegar até seis meses de prisão por uma suposta agressão a uma mulher no cassino

O presidente do UFC, Dana White, não está preocupado com a possível prisão do desafiante dos pesados Alistair Overeem . O empresário fez questão de minimizar a acusação e disse que o combate contra Junior dos Santos pelo cinturão dos pesados no meio do ano dificilmente será cancelado.

Veja também: Werdum encara gordinho na volta ao UFC com hit de Michel Teló

“Parece que ele foi ao XS [casa noturna de Las Vegas] e foi usar o banheiro sem a presença dos seguranças. E uma mulher começou a gritar e a bater nele do nada. Não acho que ele esteja em muita encrenca, como se tivesse batido em alguém. Vou planejar a luta [de Cigano] com Alistair Overeem”, ressaltou Dana White.

Confira ainda: Ring Girls do UFC entram no clima do Super Bowl e jogam na praia

A confusão aconteceu na boate do cassino Wynn, na madrugada do dia 2 de janeiro. Overeem teria empurrado bruscamente a mulher no rosto após ser abordado, forçando-a a ir para trás.

Passado o ocorrido, o ex-campeão do Strikeforce não chegou a ser preso no momento. Apesar disso, ele terá que responder pelo incidente em uma corte da cidade no dia 21 de fevereiro com a possibilidade de pegar meio ano de prisão e pagar uma multa de mil dólares (cerca de R$ 1.800).

Overeem será defendido no tribunal pelo advogado David Chesnoff, que ficou conhecido por ter representado estrelas como Leonardo DiCaprio, Lindsay Lohan, Paris Hilton, Mike Tyson e Shaquille O'Neal. Caso se livre das acusações, ele enfrentará Cigano pelo cinturão no meio do ano. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.