Tamanho do texto

Campeão dos médios do UFC foi conhecer a “huka-huka” no Mato Grosso em matéria para a revista Trip

Anderson Silva trocou o octógono e a habitual preparação dentro da academia por um local de treinamentos bastante inusitado. Em reportagem para a revista Trip, o campeão dos médios do UFC visitou uma tribo indígena no Alto Xingu, no Mato Grosso, e aprendeu sobre a luta local chamada de “huka-huka”.

iG Entrevista: Anderson Silva faz alerta ao UFC e pede divulgação 'séria' em SP

“É outra arte que vou conhecer, quero saber como eles conduzem a filosofia desse esporte”, afirmou o atleta em entrevista à Trip antes de praticar a arte.

O atleta paulista chegou a se pintar como os outros índios e lutou de igual para igual com os habitantes da aldeia. No começo, Anderson Silva teve dificuldades e acabou no chão em seus primeiros combates da “huka-huka”, uma modalidade de quedas.

Veja também: Anderson Silva ganha moto personalizada ao estilo 'Aranha'. Confira

Mas, depois, o melhor lutador de MMA do mundo estabeleceu novas regras na disputa com os índios e não decepcionou.

“[A nova regra] é um pouco mais violenta que a de vocês. Quando o oponente está no chão nós podemos continuar batendo. Ou podemos imobilizar também”, declarou o lutador, que depois não perdeu de mais ninguém apelando para as finalizações do jiu-jitsu.

Anderson Silva continua com a recuperação e os treinamentos de olho no provável retorno ao octógono no dia 16 de junho. O campeão dos médios defenderá o cinturão na revanche contra Chael Sonnen em combate que deve ser oficializado para acontecer no Pacaembu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.