Tamanho do texto

Ericka Almeida teve relacionamento amoroso com seu ex-técnico, Herman Gutierrez, a quem acusa de agressão e ameaças

 Ericka Almeida já fez parte do card do UFC
UFC/Divulgação
Lutadora brasileira Ericka Almeida já fez parte do card do UFC

A lutadora brasileira Ericka Almeida , que já fez parte do card do UFC, principal organização de MMA do mundo, denunciou seu ex-treinador de ameaças e agressões na cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo.

Leia também: Americano bate recorde de nocaute mais rápido da história do UFC; assista

Em entrevista concedida ao programa "Fantástico", da TV Globo, a brasileira Ericka Almeida disse que apanhava de Herman Gutierrez durante os treinamentos, quando ainda era adolescente - ela chegou a ter um relacionamento amoroso com o treinador, que é 21 anos mais velho.

"Foi assim que eu tive os primeiros contatos com ele. Foram investidas dele, eu estava sempre com ele, porque ele me levava para treinar, me deixava em casa, me buscava para fazer musculação junto. Assim foi indo, ele foi demonstrando interesse, até que ele falou que tinha interesse. A princípio ele me tratava muito bem e eu acabei cedendo", disse a lutadora.

"As agressões verbais mais pesadas começaram a acontecer e as agressões físicas. Qualquer motivo era motivo. Se eu tava com o cabelo solto, era motivo. Se eu usava uma maquiagem, era motivo", comentou.

Herman Gutierrez e Ericka Almeida
Facebook/Reprodução
Herman Gutierrez e Ericka Almeida

Com sucesso nas lutas amadoras de MMA , Ericka chegou a assinar um contrato de três lutas no UFC, mas acabou sendo dispensada após perder duas vezes. "Ele sempre também jogou na minha cara isso, deixou bem claro que ele falava que eu devia a ele".

A lutadora levou os irmãos mais novos para treinar com Herman. Ellen Wanessa Almeida, irmã mais nova de Ericka, também se envolveu com Herman Gutierrez e relatou ao Fantástico que apanhava.

"Ele me pegou pelo pescoço, começou a me estrangular, só que como eu treinava Jiu eu não senti muito, aí ele soltou. Quando ele soltou eu relaxei e falei: 'acho que ele parou'. Quando eu pensei isso, ele voou o joelho no meu queixo", disse Ellen, que registrou as agressões em um diário.

Leia também: Nate Diaz e Khabib são contidos por seguranças durante confusão no UFC 239

Em 2017, Ericka gravou um áudio de uma conversa com o ex-treinador, que faz ameaças. Neste mesmo ano, a atleta disse que Herman não gostou quando viu no celular que ela participava de um grupo com amigas e partiu para novas agressões.

A ex-lutadora do UFC gravou um vídeo onde aparece com o rosto todo ensanguentado. "Ninguém merece isso, ninguém. Nunca achei que isso fosse acontecer comigo. Mas se algo acontecer, então foi o Herman que veio fazer isso aqui em casa", disse.

Ericka Almeida fez um vídeo onde aparece com o rosto ensanguentado após agressões
Reprodução
Ericka Almeida fez um vídeo onde aparece com o rosto ensanguentado após agressões

Diante das agressões e ameaças, Éricka decidiu sair de São Paulo e foi morar na cidade de Curitiba, capital do Paraná. 

A lutadora procurou a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) para denunciar as agressões, mas, por não apresentar provas, a Justiça negou a medida protetiva. Atualmente, o advogado das irmãs entregou fotos, vídeo, a gravação e o diário da irmã à Justiça.

Ericka Almeida
MMAFIGHT/REPRODUÇÃO
Ericka Almeida

Treinador nega agressões

Em depoimento dado à polícia, Herman Gutierrez negou que tenha agredido Ericka, mas  confirmou que teve um relacionamento amoroso com a vítima. Ao "Fantástico", ele negou o envolvimento com a lutadora.

"Não me lembro disso daí, mas por que nessa mesma hora que ela fez esse vídeo, ela não foi para delegacia e fez um boletim?", disse sobre o vídeo da moça com sangue no rosto. 

Leia também: Filho de Anderson Silva estreia no Muay Thai com vitória por nocaute; assista

Sobre o áudio com ameaças à lutadora brasileira , Herman disse que foi uma discussão e que pediu desculpa para ela naquela ocasião. "Não estou reconhecendo direito minha voz, mas não foi uma coisa assim tão, tão assim, é... desculpa, tá", disse o treinador.