Tamanho do texto

Norte-americano Colby Covington criticou muito o Brasil, garantiu que vencerá o duelo por finalização e que irá 'forçar a aposentadoria' de Demian

Além de atacar o brasileiro Demian Maia, seu adversário na luta co-principal do UFC São Paulo , que acontece neste sábado, no ginásio do Ibirapuera, o norte-americano Colby Covington resolveu soltar o verbo contra o Brasil. O californiano tem 29 anos e já enfrentou brasileiros duas vezes, com uma vitória e uma derrota - a única na carreira -, mas não poupou palavras ao falar do país, criticando até para o ar condicionado.

Leia também: Michael Bisping responde processo por estrangular jovem funcionário de academia

Colby Covington é o próximo adversário de Demian Maia após brasileiro perder disputa pelo título com Tyron Woodley
Divulgação/UFC
Colby Covington é o próximo adversário de Demian Maia após brasileiro perder disputa pelo título com Tyron Woodley

"Cara, estou odiando esse lugar. Mal posso esperar para voltar aos Estados Unidos. É difícil de se conseguir uma refeição decente aqui. Desligaram o ar condicionado no meu primeiro dia, na última vez que lutei no Brasil desligaram o ar condicionado na arena. O lado bom é que treino para elementos assim e para não cansar. Então f***-se o Brasil", disparou Covington, adversário de Demian Maia , durante o Media Day do UFC, na quinta-feira.

"Espero a mesma relação que sempre foi. Todo mundo vai gritar 'Uh, vai morrer', mas eles vão descobrir que eles vão morrer no sábado. Isso motiva mais. Quando as pessoas dizem que acreditam em você, que você é o melhor, isso te dá uma falsa sensação de segurança. Acredito quando as pessoas te odeiam e duvidam de você, isso me leva a calar os críticos. Gosto de ser o vilão. Gosto de calar as pessoas e deixá-las em silêncio . Deixem seus lenços prontos para sábado à noite", acrescentou.

Leia também: Boxeadora ganha beijo de adversária durante encarada; assista vídeo

"Vou aposentar Demian"

E a língua afiada do norte-americano não parou por aí. Ele afirmou que irá finalizar o brasileiro, faixa-preta de jiu-jitsu, e forçará a aposentadoria do rival de 39 anos.

"Acredito absolutamente que Demian Maia vai se aposentar neste fim de semana. Mesmo sabendo que ele não quer, vou forçar sua aposentadoria. Espero que ele tenha seu discurso de aposentadoria pronto. Acho que seria fácil demais nocautear Demian Maia . Quero me desafiar. Quero ir lá e finalizá-lo, provavelmente com um estrangulamento ou uma gravata peruana. Acho 100% que o UFC me deverá uma chance pelo título depois que eu finalizar Demian Maia. Tyron Woodley pode curtindo suas férias, porque quando chegar a hora de voltar, sua era terá acabado", continuou e alfinetou também o atual campeão dos meio-médios, Tyron Woodley.

"Woodley vai ficar com medo, me chamar de racista e me evitar. 'Ah, sou a vítima, todos olhem pra mim, são todos racistas, querem que eu enfrente Colby, blá, blá, blá'. Quando ele pisar no octógono comigo será a última luta de sua carreira. Depois que eu limpar essa divisão, vou pensar em subir para os médios, ter dois cinturões, e quem sabe até descer para os leves. Sou a nova geração, essa é a minha divisão agora. Não me importo com mais ninguém. Cerrone está 50-50 em suas últimas 10 lutas. Demian ainda está ativo na divisão, ainda é perigoso", disse.

"Ninguém queria enfrentar Demian nessa categoria, eu aceitei, vim para a p*** do Brasil e vou finalizá-lo. Eles me evitam como sempre fizeram a minha carreira toda. Sou o cara mais duro da divisão. Ninguém quer me enfrentar. Acho que estou na cabeça dele. Sábado à noite ele vai errar e vou capitalizar esses erros", ponderou, dizendo ainda que não enxerga problema em lutar pelo cinturão contra o amigo e companheiro de American Top Team, Jorge Masvidal.

Leia também: Lutadora leva chute brutal no MMA e fica com o rosto desfigurado; veja o golpe

"Não vou sair de cena por ninguém. Essa é a minha hora. Quero deixar claro que depois que eu nocautear ou finalizar Demian, sou o próximo na disputa pelo cinturão. Eu e Jorge somos grandes amigos, mas se tivermos de lutar pelo título, seria uma luta do dinheiro, então teríamos de fazer", concluiu o adversário de Demian Maia.

    Leia tudo sobre: luta