Tamanho do texto

Duelo aguardado desde o início do ano acontece esta noite, em Las Vegas, nos Estados Unidos; Antes, Chris Weidman defende o título dos médios diante de Luke Rockhold

José Aldo e Conor McGregor posam com seus respectivos cinturões, de campeão linear e interino
Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
José Aldo e Conor McGregor posam com seus respectivos cinturões, de campeão linear e interino

O dia chegou! Finalmente José Aldo e Conor McGregor irão se enfrentar para saber quem ficará com o cinturão de campeão do peso-pena do UFC, atualmente do brasileiro. A luta, marcada para acontecer esta noite no MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, coloca frente a frente dois lutadores distintos: um, é o campeão mais longevo da organização e lidera o ranking peso por peso, o outro, quer provar que não é apenas um falador e tentar sua terceira vitória no ano e a unificação do título.

Com 29 anos, o brasileiro está no auge de sua carreira. Após mais de um ano afastado do octógono, Aldo volta para realizar a luta que anteriormente estava marcada para julho, mas acabou adiada após lesão em sua costela. Por este motivo, McGregor enfrentou Chad Mendes no UFC 189 e conquistou o título interino, o que esquentou mais ainda o duelo entre os dois.

Saiba mais:  Confira três curiosidades sobre José Aldo

Aldo está a uma vitória para empatar com Jon Jones no número de defesas de cinturão -foram oito as vezes que o norte-americano defendeu o título dos meio-pesados. No Ultimate são sete triunfos em sete lutas, mas em toda a carreira profissional de MMA, iniciada em 2004, o manauara venceu 25 vezes e perdeu apenas uma, esta, para o brasileiro Luciano Azevedo, ainda quando lutava pelo Jungle Fight, em 2005.

A especialidade de Zé Aldo são os chutes, joelhadas e socos. Das suas 15 vitórias entre WEC e UFC, nove foram dessas maneiras. Suas duas últimas conquistas, contra Ricardo Lamas, em fevereiro de 2014 e Chad Mendes, em outubro do mesmo ano, foram por decisões unânimes dos juízes, entretanto, seus adversários saíram castigados do octógono.

José Aldo acerta Chan Sung Jung em uma das suas sete defesas do cinturão
Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
José Aldo acerta Chan Sung Jung em uma das suas sete defesas do cinturão

Esta garra do brasileiro veio desde o início, quando se mudou de Manaus para o Rio de Janeiro com o sonho de ser campeão, mas sem dinheiro no bolso, como conta Marcos ‘Loro’ Galvão, companheiro de treino de Aldo na capital amazonense, em entrevista ao site do UFC.

"A gente dormia no tatame. Falávamos que queríamos voltar pra nossa cidade, porque era muito difícil. A gente passava fome! Tinha que acordar tarde, uma ou duas da tarde, para poder almoçar, porque não tinha o café da manhã. Quando todo mundo ia embora, só ficava eu e ele, na academia escura, suja. Tudo isso foi muito difícil, mas foi gratificante. Prevaleceu a força de vontade que ele tem, a garra, a determinação, tudo isso só fortaleceu ele. Ele sempre me falava que ia ser campeão", contou.

Aldo, que herdou o nome do pai, lutará, mais uma vez, pelo título, mas outra meta o motiva ainda mais para derrotar McGregor.

"Quando eu entrei no esporte, eu queria deixar um legado muito grande. Eu não queria ser só mais um atleta ou só mais um campeão. Eu sempre pensei nisso. Acho que estou a caminho de ser tudo aquilo que eu imaginei, que eu sonhei em ser. Um dia, quando eu parar, aí sim eu posso chegar e falar 'agora esse é o meu legado'. Eu quero deixar um ponto de interrogação na cabeça de todo mundo. Quero que perguntem: 'se o Aldo estivesse aqui, o Aldo continuaria sendo campeão?' Um dia, quando eu sair do esporte, vou me aposentar, sendo o campeão. Aí sim eu vou deixar meu legado, deixar meu nome na história", relatou o campeão.   

A missão do brasileiro, porém, não será fácil. Do outro lado, e praticamente com os mesmos desejos, estará o irlandês Conor McGregor, invicto no UFC e queridinho da organização. Sempre de terno e com óculos escuros, McGregor não tem receio de falar o que vier na cabeça, e isso não é de hoje.

Conor McGregor nocauteia Chad Mendes no UFC 189 e conquista o cinturão interino dos penas
Christian Petersen/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Conor McGregor nocauteia Chad Mendes no UFC 189 e conquista o cinturão interino dos penas

Desde os tempos de Cage Warriors, – evento no qual ele se destacou até ser contratado pelo UFC – o campeão linear dos penas falava muito e cumpria tudo ao derrotar seus adversários dentro do cage. Em sete anos como profissional, são 18 vitórias e apenas duas derrotas. Assim como o campeão, ele é especialista na luta alta. 15 foram as vezes que Notorious nocauteou seus adversários, seja com socos ou cotoveladas.

Durante a coletiva de imprensa do UFC 194, esta semana, em Las Vegas, McGregor mostrou uma versão avessa daquela que ficou conhecida durante todo o ano. Sem polemizar, ele ponderou o desejo de apenas uma coisa após a luta: ser o número um.

Saiba mais:  Confira três curiosidades sobre Conor McGregor

"Eu visualizo a luta acabando de forma imprevisível. Eu irei pressioná-lo, irei evitá-lo, irei acertá- lo de todas as formas: com o punho, cotovelo. Eu serei um fantasma lá dentro. Ele pensará que eu estou lá, mas não estarei. Quando ele pensar que eu estou, eu não estarei. Vai ser uma obra prima e isso provará meu ponto, que eu sou o número um”, afirmou.

"Esse vai ser um espetáculo, uma aula. Vou trazer uma nova era na luta. Eu sou um homem que tem algo a provar, e um homem que tem algo a provar é muito perigoso. Quero mostrar ao mundo a nova era das lutas", continuou o irlandês.

O longo tempo invicto no MMA, entretanto, não convenceram os apostadores mundiais, já que Zé Aldo é o azarão nas casas de apostas. A todos os fãs do esporte, resta esperar para saber quem sairá vencedor do UFC 194 e se tornará campeão dos penas.

Chris Weidman x Luke Rockhold

Outro cinturão estará em jogo esta noite no MGM Grand Garden Arena. Terceiro colocado no ranking peso por peso e campeão dos médios, Chris Weidman enfrenta Luke Rockhold e fazem uma pré-luta principal de luxo, naquela que vem sendo tratada pelos especialistas norte-americanos como "a luta mais técnica no peso-médio na história do UFC".

Chris Weidman e Luke Rockhold se encaram durante coletiva que antecede o UFC 194
Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Chris Weidman e Luke Rockhold se encaram durante coletiva que antecede o UFC 194

Invicto no MMA com 13 vitórias, Weidman começou sua carreira no Ring of Combat e após quatro vitórias foi contratado pelo Ultimate. Depois de cinco triunfos na organização, teve sua principal chance até então: enfrentar o campeão Anderson Silva, em julho de 2013. Muito provocativo, o brasileiro falhou e o norte-americano o nocauteou com socos e se tornou o novo dono do cinturão dos médios.

No mesmo ano, enfrentou o Spider novamente e venceu após lesão do brasileiro. Lyoto Machida, em 2014 e Vitor Belfort, em maio deste ano, foram os outros desafiantes, ambos derrotados.

Do outro lado estará o californiano Luke Rockhold. Com 16 lutas no MMA, ele venceu 14 e foi derrotado em duas oportunidades. Ganhou destaque no Strikeforce, com nove vitórias em nove lutas e duas defesas de cinturão. Sua estreia no UFC, em 2013, não foi positiva, pois foi nocauteado pelo brasileiro Vitor Belfort.

Desde então, foram quatro triunfos, a última delas sobre o brasileiro Lyoto Machida, com uma finalização por mata leão. A finalização, inclusive, é uma característica sua, já que das 14 vitórias, nove foram desta maneira.

Durante a coletiva de imprensa oficial, nesta semana, os conterrâneos se respeitaram e Rockhold garantiu que o duelo, que vale o título mundial, será um verdadeiro show.

"Sempre houve respeito mútuo entre eu e Chris, mas isto aqui vale um título mundial, vale a comida na mesa. Ele tem filhos para alimentar. Eu tenho uma missão a cumprir. Isto é tudo. Trabalhamos duro na academia por isso. Nós sabemos o que está em jogo: o título de melhor do mundo. Vocês verão um show", salientou.

Weidman revelou ainda o que é necessário para não perder o cinturão, conquistado com muito empenho há dois anos.

"Acho que esta é a divisão mais dura do UFC, e tenho sorte de estar nela e poder provar onde estou contra os melhores do mundo. Não importa contra quem esteja lá dentro, é sempre uma batalha comigo mesmo. Tenho que manter o foco e, se garantir isso, ninguém vai me bater"

Ronaldo Jacaré x Yoel Romero

A terceira principal luta da noite será entre o brasileiro Ronaldo Jacaré e o cubano Yoel Romero, pelo peso-médio. Com 35 anos, o capixaba de Vila Velha estreou no UFC em 2003, desde então, competiu mais 25 vezes, venceu 22, foi derrotado em três e uma terminou sem resultado. No Ultimate, Jacaré não sabe o que é perder, são cinco vitórias em cinco lutas, a última delas sobre o norte-americano Chris Camozzi, em abril deste ano. Jacaré é o segundo no ranking dos médios.

Ronaldo Jacaré enfrenta o cubano Yoel Romero para manter a invencibilidade no UFC
Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Ronaldo Jacaré enfrenta o cubano Yoel Romero para manter a invencibilidade no UFC

Do outro lado, estará o experiente cubano de 38 anos, apelidado de Soldado de Deus, Yoel Romero. Ele iniciou sua carreira na Luta Olímpica em 1997 e lá ficou até 2005. No total, foram 34 vitórias e 11 derrotas. Em dezembro de 2009 começou no MMA e após cinco lutas, com quatro vitórias e uma derrota, foi contratado pelo UFC. Na organização presidida por Dana White está invicto com seis vitórias. No total, foram 11 lutas no MMA profissional, com dez triunfos e apenas uma derrota. Ele é o terceiro do ranking da sua categoria.

E mais:  Assista ao nocaute do ‘Argentino Gente Boa’ Santiago Ponzinibbio no UFC FN 80

O brasileiro, em entrevista ao site Combate.com, revelou como pretende lutar para manter sua invencibilidade no Ultimate e se aproximar da briga pelo cinturão.

"A mão pesada complica mais. Eu sou do jiu-jitsu. Se botar para baixo, ele vai ser dar mal. Ele tem uma mão esquerda muito pesada, o wrestling dele é muito bom e a força impressiona bastante. Mas eu estou com boxe melhor que o dele, estou acostumado a lutar com caras canhotos. Acho que posso surpreendê-lo em pé. Vou fazê-lo andar para trás, aí ele vai entrar na minha perna e se dar mal", afirmou.

Card completo do UFC 194

Principal

Peso-pena: José Aldo x Conor McGregor;

Peso-médio: Chris Weidman x Luke Rockhold;

Peso-médio: Ronaldo Jacaré x Yoel Romero;

Peso-meio-médio: Demian Maia x Gunnar Nelson;

Peso-pena: Max Holloway x Jeremy Stephens;

Preliminar

Peso-galo: Urijah Faber x Frankie Saenz;

Peso-palha: Tecia Torres x Jocelyn Jones-Lybarger;

Peso-meio-médio: Warlley Alves x Colby Covington;

Peso-leve: Léo Santos x Kevin Lee;

Peso-leve: Joe Proctor x Magomed Mustafaev;

Peso-leve: John Makdessi x Yancy Medeiros;

Peso-meio-médio: Court McGee x Márcio Lyoto.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.