Tamanho do texto

Ronda Rousey e Holly Holm farão a principal luta da noite, que vale o título do peso galo. Antes, Joanna Jedrzejczyk e Valérie Létourneau disputam o cinturão dos palhas em Melbourne

Ronda Rousey e Holly Holm disputam o cinturão dos galos femininos
Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Ronda Rousey e Holly Holm disputam o cinturão dos galos femininos

Ronda Rousey coloca o cinturão dos galos femininos (até 61kg) em jogo diante de Holly Holm, na madrugada de sábado para domingo, na principal luta do UFC 193, em Melbourne, na Austrália. Outro combate, também entre mulheres e que, assim como o primeiro, vale o título, mas do peso-palha (até 52kg), entre a polonesa Joanna Jedrzejczyk e a canadense Valérie Létourneau, mostra, pela primeira vez, um domínio amplo das mulheres no card principal da maior organização de MMA do mundo.

Veja: Ronda e Holm quase partem para briga em pesagem oficial do UFC 193

O crescimento no número de mulheres no UFC, com certeza, é puxado por Ronda, principal atleta da organização no momento. O número de lutas femininas neste ano mais que dobrou com relação a 2013, ano da sua estreia, de 16 para 36 - sem contar as duas desta noite. Respectivamente, aumentou também o número de lutas principais, co-principais, no card principal e no card preliminar. As mulheres têm sido a grande aposta.

Leia mais:  Por amor ao esporte, Ronda revela choro antes da luta contra Holm

Em 2015, Ronda defendeu seu título em duas situações: contra Cat Zingano, em fevereiro, e Bethe Correia, em agosto, e os nocautes rápidos da loira têm chamado cada vez mais a atenção do público, já que, no ano, a luta entre a norte-americana e a brasileira vendeu 900 mil pacotes de pay-per-view (canal exclusivo que transmite as lutas), batendo o recorde no país. Vale lembrar que Anderson Silva retornou este ano após lesão, contra Nick Diaz, em janeiro, e o ex-campeão dos meio-pesados Jon Jones também foi ao octógono em 2015.

Leia:  Ronda Rousey diz que pretende "desaparecer por um tempo" após UFC 193

Outro número que impressiona é o da arrecadação antecipada com ingressos para o evento desta noite: cerca de US$ 6 milhões (R$ 22,7 milhões), claro que o local da luta - Etihad Stadium – ajuda, pois a sua capacidade total é de 56 mil torcedores. Os recordes atingidos no UFC 129, realizado em 2011, no Canadá, com um público de 55 mil torcedores e renda de US$ 12 milhões (R$ 45,5 milhões), no entanto, não devem ser batidos, já que a previsão de Dana White, presidente da organização, é de que a arrecadação deva ficar em torno de 8,5 milhões de dólares australianos (R$ 23 milhões).

Rousey x Holm

A luta mais aguardada da noite é entre a rainha dos galos, Ronda Rousey, e a desafiante, Holly Holm, 18 vezes campeã mundial de boxe e invicta no MMA, considerada por muitos como aquela que tem mais chances de tirar o cinturão das mãos da maior lutadora do Ultimate. Um dado, no entanto, faz com que o favoritismo de Ronda continue grande, já que ela é a campeã com maior número de defesas do cinturão contra adversárias invictas da história da organização.  

Rousey e Holm se cumprimentam após encarada. Relação entre as duas, antes da luta, foi tranquila
Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Rousey e Holm se cumprimentam após encarada. Relação entre as duas, antes da luta, foi tranquila


Dona do título dos galos desde que foi contratada pelo Ultimate, Ronda possui um cartel perfeito no MMA, com 12 vitórias em 12 lutas, mas, do outro lado, Holly não fica atrás, já que em nove combates, foram nove vitórias, sendo que dois desses no UFC.

Leia também:  Floyd critica revista por dar destaque a Ronda

O apreço entre as duas também é demonstrado pelo lado da desafiante, que não se esqueceu dos feitos da atual campeã até hoje.

"Tudo que ela faz é importante e eu não estou ignorando nenhum passo. Me importa sim o que ela faz. Ela tem três nocautes em sua carreira por algum motivo. Ela tem força e poder", opinou.

Com a ajuda do treinador brasileiro Rafael Barata , Holm espera conseguir juntar o boxe e o jiu-jitsu, forte de Ronda, para surpreender a todos e ser a primeira lutadora a vencê-la.

"Eu sou uma lutadora diferente e essa vai ser uma luta diferente das que vocês já viram até hoje. Eu não sou apenas uma boxeadora. Se eu planejava apenas o boxe para a minha vida, eu teria ficado no boxe”, afirmou a norte-americana.

Jedrzejczyk x Létourneau

Antes de Rousey x Holm, outro duelo, não menos importante, e que vale o cinturão do peso-palha, entre Joanna Jedrzejczyk, a campeã, e a desafiante Valérie Létourneau tem tudo para fazer o octógono tremer. Joanna também está invicta no MMA com dez vitórias em dez lutas e é a primeira polonesa campeã do UFC. Do outro lado estará uma canadense que vem de quatro vitórias consecutivas e possui um cartel com oito triunfos e três derrotas, uma delas para a brasileira Claudia Gadelha.

Joanna Jedrzejczyk e Valerie Letourneau se provocaram durante a encarada
Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Joanna Jedrzejczyk e Valerie Letourneau se provocaram durante a encarada

Nove quilos abaixo, mas com os ânimos muito acima. Diferentemente da disputa entre Rousey e Holm, a dupla Jedrzejczyk e Létourneau se provocaram muito quando se encontraram. Durante a tradicional teleconferência entre as lutadoras, após ouvir da própria polonesa que não estaria pronta para enfrenta-la, Valérie resolveu rebater.

Leia mais:  Brasileira Cláudia Gadelha é a próxima desafiante ao título dos pesos-palhas

"Talvez ela tenha uma péssima surpresa em 14 de novembro. Eu melhorei um pouco entre a luta contra Jessica Rakoczy e a contra Maryna Moroz, mas desta em diante eu melhorei dez vezes mais. Espero conseguir botar tudo o que pratiquei lá dentro naquela luta", disse a canadense, que rapidamente foi respondida pela campeã.

"Não sou a Maryna Moroz, não sou Rakoczy, sou a Joanna Campeã. Tenha isso em mente. Sei que já está com medo".

Posteriormente, Joanna disse também que sua oponente irá se aposentar logo após o duelo desta noite e que a canadense tem demonstrado medo durante as encaradas.

Mark Hunt x Antônio Pezão

Mark Hunt e Antonio Pezão farão a terceira principal luta da noite
Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Mark Hunt e Antonio Pezão farão a terceira principal luta da noite

Após se enfrentarem em 2013, o neozelandês Mark Hunt e o brasileiro Antonio Pezão voltam a se encontrar esta noite pelos pesos-pesados. No primeiro duelo, não houve vencedor, isso porque os dois proporcionaram uma luta épica, que terminou empatada e com aplausos de todos que estavam na Arena em Queensland, Austrália.

Com 36 anos, o paraibano é lutador de MMA há dez anos e em 27 lutas venceu 19, perdeu sete e empatou uma. Ele vem de uma vitória por nocaute sobre o australiano Soa Palelei, no UFC 190, em agosto. Seu oponente, cinco anos mais velho, profissional há 11, possui um cartel mais dividido com dez vitórias, dez derrotas e um empate. Não vence desde setembro de 2014, quando superou Roy Nelson no UFC Fight Night. O duelo tem tudo para ser eletrizante.

Confira o card completo do UFC 193:  

14 de novembro, em Melbourne, Austrália

Card principal - a partir de 1h (de Brasília)

Peso-galo: Ronda Rousey x Holly Holm
Peso-palha: Joanna Jedrzejczyk x Valérie Létourneau
Peso-pesado: Mark Hunt x Antônio Pezão
Peso-médio: Uriah Hall x Robert Whittaker
Peso-pesado: Stefan Struve x Jared Rosholt

Card preliminar - a partir de 21h15 (de Brasília)

Peso-leve: Jake Matthews x Akbarh Arreola
Peso-meio-médio: Kyle Noke x Peter Sobotta
Peso-meio-pesado: Anthony Perosh x Gian Villante
Peso-mosca: Richie Vaculik x Danny Martinez
Peso-médio: Daniel Kelly x Steve Montgomery
Peso-meio-médio: Richard Walsh x Steven Kennedy
Peso-meio-médio: James Moontasri x Anton Zafir
Peso-mosca: Ben Nguyen x Ryan Benoit

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas