Tamanho do texto

Paulista espera que UFC dê outra chance para enfrentar Max Holloway, de preferência em um evento em seu Estado

Charles do Bronx antes da luta com Max Holloway, em agosto
Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Charles do Bronx antes da luta com Max Holloway, em agosto

A luta entre Charles do Bronx e Max Holloway, em agosto, não chegou nem na metade do primeiro round, mas já foi suficiente para o sonho do paulista de se aproximar do cinturão dos pesos-penas do UFC ir por água abaixo. Com uma lesão no esôfago, o paulista do Guarujá acabou derrotado e quebrou sua sequência de quatro vitórias consecutivas pela organização.

Leia: Jon Jones desafia Cormier por cinturão: "Tentando pegar de volta o que é meu"

Passado pouco mais de dois meses, o brasileiro já tem data para retornar: 19 de dezembro, em Orlando, na Flórida, contra o norte-americano Myles Jury. Em entrevista ao iG Esporte , Charles contou como está sua recuperação e projetou um duelo complicado no seu retorno, apesar do tempo parado do seu adversário.

“Assim que eu cheguei ao Brasil, fiz fisioterapia e tudo o que os médicos pediram para eu conseguir me recuperar o mais rapidamente possível. Essas últimas duas semanas eu pude aproveitar mais o treino e posso dizer que estou em uma pegada muito forte para voltar a lutar e buscar uma vitória”, afirmou.

“A última luta dele foi em janeiro, quase um ano parado é muito tempo, acredito que atrapalha um pouco, ainda mais que eu vinha em um ritmo bom e isso pode me ajudar. Mas ele é um cara duro, certa vez ele enfrentou o Cerrone e mesmo apanhando muito continuou na luta. Acredito que vai ser um grande duelo, espero conseguir lutar para frente e conseguir superar o bom jiu-jitsu que ele tem”, continuou o paulista.

Leia: McGregor incita ‘guerra’ Grã-Bretanha x Irlanda: ‘F***-se você e a Rainha’

Ao lembrar do último confronto, quando saiu lesionado com menos de dois minutos de luta, Oliveira lamenta o fato de ter uma derrota na conta mesmo sem sofrer um golpe sequer. Falou também sobre a possibilidade de voltar a ser um dos postulantes ao título da categoria com uma vitória em dezembro.

Charles cai lesionado e juiz decreta o fim da luta com Holloway
Jeff Bottari/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Charles cai lesionado e juiz decreta o fim da luta com Holloway

“Eu não conto como derrota o que aconteceu, porque não tomei soco, chute e muito menos fui finalizado, porém tive uma lesão. Lógico que está lá como uma derrota, mas eu não considero”, ponderou. “Acho que essa luta que me colocaram é uma pedreira. Com certeza, se eu vencer, vou entrar novamente no caminho da disputa do título, que é meu sonho. Por isso estou me dedicando 100% para poder voltar a brilhar no octógono e começar o ano mais próximo da disputa do cinturão”, acrescentou.

Desde que voltou a treinar, o lutador de 26 anos revelou o desejo de enfrentar novamente o norte-americano Max Holloway. O Ultimate, no entanto, escolheu outro adversário para o seu retorno, como sabemos, mas isso não impede que Charles continue a desejar uma revanche.

Leia mais: Suspenso por dois anos, Toquinho se defende e cita ‘erro óbvio’ de árbitro

“Com certeza eu quero lutar com Max Holloway, é o meu sonho, porque para mim não teve luta. Se o UFC decidir, aceitarei, porque é o meu sonho”, disse do Bronx. “Mas meu foco é na luta de dezembro, preciso vencer e torcer para que no começo do ano o UFC me dê essa força e me coloque de novo contra ele (Holloway)”, completou.

Com duas lutas no Brasil - em Jaraguá do Sul (SC) e Goiânia (GO) - e duas vitórias, Oliveira ressaltou a vontade de retornar ao país, mas em um lugar diferente do que os dois primeiros, onde ele se sente, digamos, 'em casa'.

“Eu sempre quero lutar no Brasil. Mas meu desejo maior é lutar em São Paulo, perto da minha casa, já que eu moro no litoral. Seria um prazer enorme lutar em São Paulo, perto de todos.. Espero que ano que vem tenha mais eventos aqui no Brasil e quem sabe eles me coloquem em uma luta. Se não for em São Paulo que seja em qualquer lugar do país, o importante é estar perto do meu povo e perto da minha família”, finalizou o brasileiro.

Com um total de 26 lutas profissionais no MMA, do Bronx venceu 20 e perdeu cinco, além de um confronto sem resultado. Sua estreia no UFC se deu em agosto de 2010. De lá pra cá foram oito triunfos e cinco reveses na organização mais conhecida de artes marciais mistas do mundo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas