Tamanho do texto

Brasileiro foi suspenso por um ano pela Comissão de Nevada, na última quinta-feira, após ser pego em exame antidoping

Suspenso por um ano após ter sido flagrado na luta do dia 31 de janeiro por uso de anabolizantes , Anderson Silva teve sua carreira reverenciada pelo UFC, por meio de nota oficial, mas também não escapou do deboche dos adversários. A entidade reconhece a grandeza do ex-campeão dos pesos-médios e projeta sua volta em um grande evento, a partir de fevereiro de 2016.

Anderson Silva durante seu julgamento por doping na Comissão Atlética de Nevada
Reprodução/Internet
Anderson Silva durante seu julgamento por doping na Comissão Atlética de Nevada

“O UFC mantém uma política restrita e consistente contra o uso de qualquer tipo de substâncias de melhoria de performance, estimulantes e agentes que possam mascarar outros elementos utilizados pelos atletas, e dá total suporte aos efeitos impostos pela Comissão (Atlética de Nevada) com intuito de garantir uma competição limpa e justa entre todos os atletas de MMA. O UFC reconhece a grande carreira de Anderson Silva e olha para frente, esperando pelo retorno do atleta em 2016”, informa um trecho do comunicado oficial.

Já o americano Chael Sonnen, desafeto do brasileiro, não engoliu a defesa do ex-campeão. Durante a audiência, Anderson afirmou que tomou um suplemento para aumentar o desempenho sexual contaminado com esteroide anabolizante. De acordo com ele, o medicamento foi dado por um amigo que mora na Tailândia.

“A defesa dele era muito boba e ridícula”, disse Sonnen em entrevista à ESPN dos EUA. O americano foi além e afirmou que o brasileiro deveria ter sido honesto com os fãs: “Ele não precisava usar cinco desculpas diferentes e insultar a inteligência de todo mundo. Apenas fale para todos ‘É, eu usei’”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.