Tamanho do texto

Já o americano TJ Dillashaw garante que vai continuar com o cinturão do peso-galo: "Eu não vou perder a luta". Revanche está marcada para 30 de agosto, nos Estados Unidos

O brasileiro Renan Barão não sabia qual era o gosto da derrota no UFC até o fatídico 25 de maio, quando perdeu o cinturão do peso-galo ( de 57 a 61kg) para o americano TJ Dillashaw, lutador pouco conhecido na franquia, resultado que também acabou com sua série invicta de 31 lutas. "Acho que eu não estava 100% na ocasião. Ele conseguiu fazer uma boa luta, encaixou um bom golpe no começo e me dominou completamente. Ele ditou o ritmo e eu não tive muito o que fazer. Não era eu que estava lutando ali", garante Barão, em entrevista ao  iG Esporte.  Agora, ele terá a chance de recuperar o cinturão dia 30 de agosto, em Sacramento, nos Estados Unidos, no UFC 177.

TJ Dillashaw (direita) dominou Renan Barão na luta principal do UFC 173
Josh Hedges/UFC
TJ Dillashaw (direita) dominou Renan Barão na luta principal do UFC 173

Antes dessa derrota, o brasileiro, cotado como um dos melhores lutadores do UFC na atualidade, só havia perdido uma vez no MMA, e logo na sua estreia na modalidade, em 2005, contra João Paulo Rodrigues de Souza. Depois daquele começo com o pé esquerdo, ele chegou a pensar em desistir e se dedicar somente ao jiu jitsu. Porém, graças ao apoio das pessoas, principalmente da família, decidiu seguir seus sonhos.

E é novamente esse apoio familiar que dá a força necessária para Barão conseguir dar a volta por cima. "Superei bem aquela derrota por causa das pessoas ao meu redor. Eu tenho uma grande equipe. A minha família, os meus amigos e a força de vontade são os fatores que me ajudaram naquela época e que vão ser fundamentais nessa revanche", afirmou o lutador, que mostrou ansiedade. "Tive a oportunidade de ter essa revanche e eu estou doido para sair na mão", completou.

Além da responsabilidade de dar a volta por cima, a vitória de Barão pode fazer o Brasil ficar "um pouco" melhor no UFC - hoje, o único brasileiro com cinturão é José Aldo, campeão dos penas. Porém, Barão minimiza essa "pressão". "Não existe nenhum tipo pressão. Estou muito tranquilo. Quero esse cinturão e tenho certeza que vou recuperá-lo", garantiu Renan.  "E pode ter certeza que eu vou para cima. Não tem segredo. Eu já sei o que terei pela frente, ela já não é mais uma surpresa."

"Eu não vou perder a luta, o cinturão é meu"

TJ Dillashaw nocauteou Renan Barão e ficou com o cinturão do peso-galo
Josh Hedges/UFC
TJ Dillashaw nocauteou Renan Barão e ficou com o cinturão do peso-galo

Pelo lado do americano, confiança também é a palavra-chave. TJ Dillashaw, que surpreendeu a todos ao dominar a luta contra o Barão e nocautear o brasileiro no quinto round, garante que vai surpreender novamente. "Eu vou encarar a luta da mesma forma que encarei a primeira. Vou respeitá-lo porque ele é um grande lutador e vai vir preparado. Mas vou surpreendê-lo mais uma vez. Estou melhorando a cada treino e espero mostrar novos truques nessa luta", disse TJ ao  iG Esporte.

Dillashaw não era muito conhecido antes da surpreendente vitória sobre Barão. Havia se destacado apenas no  The Ultimate Fighter  americano. No reality show de MMA, ele chegou até a final do peso-galo, mas acabou perdendo na decisão para John Dodson. Agora, porém, ele é dono cinturão da categoria, algo que, automaticamente, aumenta a visibilidade e a cobrança do lutador. Porém, essa maior exposição não parece ser um problema para ele. 

"Agora as pessoas me respeitam mais e se preocupam mais com meu estilo. E quanto mais se preocuparem, melhor. Eu lido bem com isso. Claro que essa parte promocional e de mídia aumentou muito, mas continuo treinando para ficar melhor a cada dia", afirmou TJ.

Claro que a chance de perder para o Barão existe. E se isso acontecer, algo que TJ acha "bem difícil", o americano vai exigir um revanche, assim como aconteceu com o brasileiro. "Eu não vou perder a luta. Mas caso isso aconteça, e no MMA essas coisas acontecem, eu vou querer uma revanche imediata, até porque ele teve direito. Mas isso não vai acontecer, o cinturão é meu!", afirma, em alto e bom som, Dillashaw.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.