Tamanho do texto

Se Pezão conquistar o cinturão contra Cain Velásquez e Cigano derrotar Mark Hunt, Dana White deve promover duelo entre os amigos brasileiros

Antônio Cigano e Junior Pezão já treinaram juntos várias vezes na Team Nogueira
Reprodução/Instagram
Antônio Cigano e Junior Pezão já treinaram juntos várias vezes na Team Nogueira

O casamento de lutas entre amigos é um dos assuntos mais polêmicos do MMA. No geral, os lutadores são totalmente contra a possibilidade de enfrentar um amigo de profissão. Considerados os dois melhores brasileiros dos pesos pesados do UFC, Junior Cigano e Antônio Pezão seguiam essa linha de pensamento. Porém, após uma conversa franca, os amigos decidiram abrir uma exceção. Eles aceitam disputar uma luta, mas o duelo precisa ser válido pelo cinturão do UFC.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Neste sábado, na luta principal do UFC 160, Pezão vai disputar o cinturão dos pesados contra o norte-americano Cain Velásquez. Já na segunda luta principal do evento, Cigano encara o neozelandês Mark Hunt. A princípio, o UFC pretende promover o próximo duelo valendo cinturão entre os vencedores das lutas. Neste caso, o sucesso dos brasileiros vai forçar um duelo entre amigos.

Leia mais: Diretor confirma UFC Rio 4 com Aldo x Pettis no dia 3 de agosto

“Só vamos lutar se for pelo cinturão do UFC. Nunca enfrentaria o Pezão em outra situação. Somos bons amigos e fazemos parte do mesmo time. Porém, quando a luta vale o título, ele tem que pensar na carreira dele e na família dele. E eu tenho que fazer a mesma coisa”, explicou o lutador do Corinthians.

Veja também: Lutador brasileiro do UFC defende uso da maconha

Indagado sobre o assunto, Antônio Pezão também fez coro às palavras do amigo. “Eu e o Cigano somos profissionais. Temos nossas contas para pagar e aceitamos lutar pelo cinturão. Depois, independentemente do resultado, vamos comemorar juntos. O importante é o cinturão ficar no Brasil”, comentou.

Anderson Silva considera luta entre amigos traição

Maior nome da história do MMA brasileiro, Anderson Silva é totalmente contra enfrentar um amigo de profissão. O peso médio, inclusive, acha que Vitor Belfort cometeu uma verdadeira traição ao desafiá-lo. Apesar de ter treinado com Anderson na Team Nogueira, Belfort não pensou duas vezes antes de lutar contra Anderson Silva, no UFC 117. Porém, para infelicidade do carioca, o lutador do Corinthians conquistou a vitória logo no primeiro round, com um dos chutes mais bonitos da história do esporte.

Anderson, inclusive, já usou as amizades como justificativa para não mudar de categoria no UFC. O Spider é parceiro de treino dos brasileiros Rafael Feijão e Rogério Minotouro, ambos lutadores meio pesados. De quebra, Anderson também é muito próximo de Lyoto Machida, o brasileiro melhor ranqueado na categoria.