Tamanho do texto

COB planeja ter a modalidade como um dos carros-chefe da delegação brasileira nas Olimpíadas de 2016

O futuro começa agora. Com investimento de R$ 10 milhões e o objetivo de ganhar ainda mais medalhas olímpicas nos Jogos de 2016, a Confederação Brasileira de Judô apresentou nesta quarta-feira, no CT do Time Brasil, na Barra da Tijuca, o planejamento para a formação da equipe que representará o País na modalidade no Rio. Além disso, o objetivo do COB, por exemplo, é ter o esporte como carro-chefe na obtenção do recorde de 27 medalhas daqui a três anos, 10 a mais do que o conquistado na Olimpíada de Londres.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Sarah Menezes e a medalha de ouro conquistada em Londres 2012
AP
Sarah Menezes e a medalha de ouro conquistada em Londres 2012

Para isso, o judô terá, entre outras coisas, uma comissão técnica efetiva, com 25 membros, treinos temáticos e a contratação da técnica japonesa Yuko Fujii - que ajudará Rosicleia Campos, grávida, no comando do time feminino.

“O judô mostra que pode ser um exemplo para todas as outras modalidades para que o Brasil possa ser top 10 nos Jogos em 2016”, afirmou o superintendente técnico do COB, Marcus Vinícius Freire.

Em Londres-2012, o Brasil teve participação histórica, ao classificar 14 judocas em todas as categorias e conquistar ouro com Sarah Menezes (48kg). Felipe Kitadai (60kg), Mayra Aguiar (78kg) e Rafael Silva (+100kg) ainda faturaram três bronzes. Para o novo ciclo, 43 judocas da Seleção (23 homens e 20 mulheres) treinam fortemente para fazer ainda mais bonito em três anos.

“Você sempre quer melhorar. Tem mais pressão agora e sabemos que o Brasil pode conquistar mais”, diz Sarah.

O primeiro torneio do ano para o judô será em Paris, nos dias 9 e 10. Mas a equipe só será testada para valer no Mundial de setembro, no Rio.