Tamanho do texto

Invicto há 16 partidas, time é formado por jogadores experientes. Novidade é o retorno de Juninho Pernambucano

Pela primeira vez depois de aproximadamente uma década, o Vasco estreia no Campeonato Brasileiro em condições de fazer bonito. Desde o período em que o clube tinha o milionário patrocínio do Nations Bank , o torcedor via um time com tantos jogadores rodados. Após os títulos das Copas Mercosul e João Havelange, em 2000, o torcedor não criou mais tanta expectativa em um título nacional. Este ano, com Felipe, Fernando Prass , Dedé , Diego Souza , Alecsandro e outros, a campanha, pelo menos na teoria, pode impressionar.

Siga o iG Vasco no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Dinamite e Juninho, ídolos de gerações diferentes com história no Vasco
Site oficial
Dinamite e Juninho, ídolos de gerações diferentes com história no Vasco
A base para isso é retrospecto do time sob o comando de Ricardo Gomes. Finalista da Taça Rio – segundo turno do Campeonato Carioca – e semifinalista da Copa do Brasil , a equipe está invicta há 16 partidas. Tecnicamente, não se vê em campo nomes como Romário, Euller, Edmundo, Donizete, Mauro Galvão, Jorginho, Juninho Paulista e Júnior Baiano. Estes estiveram nos dois últimos Brasileiros: 97 e 2000. A saudade, no entanto, poderá ser matada com Felipe, hoje cérebro do time, e Juninho Pernambucano, repatriado após dez anos fora do país e jurando amor ao clube. Tanto que sugeriu, como revelou em entrevista ao iG , um contrato ganhando salário mínimo . Os dois meias serão as principais estrelas vascaínas na segunda metade de 2011.

O Vasco conquistou quatro Brasileiros. Os primeiros foram em 1974, quando o presidente Roberto Dinamite começava a se firmar como camisa 10 do clube – o maior deles, aliás -, e depois em 1989. Na oportunidade, o Vasco, numa operação ousada, foi manchete em todos os jornais ao tirar o atacante Bebeto do rival Flamengo. Esteve também na final em 1979 e 84, mas sucumbiu diante do Internacional de Falcão e do Fluminense de Romerito. Estando, assim, em seis finais desde a criação do campeonato, em 71. No Rio, é o clube com o segundo maior número de títulos nacionais, atrás apenas do Flamengo , com seis.

Mas a virada do século não traz boas recordações em São Januário. O clube montou equipes que brigam somente para não ser rebaixado. Em 2008, porém, “a casa caiu”. Era um ano de transição política. Eurico Miranda deixa o poder depois de 30 anos de regime “ditador”. Em meio a uma grave crise política, Dinamite assumiu, mas não evitou a queda. Sorte que no ano seguinte, com a gestão de diretor-executivo Rodrigo Caetano, tirado do Grêmio, a organização do meia Carlos Alberto e a liderança de Dorival Júnior, o time fez bonito na Série B, sagrando-se campeão por antecipação.

Este ano, a impressão que se tem é de um Vasco mais respeitado e com credibilidade. Ricardo Gomes tem um time titular já na cabeça do torcedor e seus homens de confiança que sempre são utilizados no decorrer das partidas. São eles Bernardo , Fellipe Bastos e Leandro – este último afastado há um mês com lesão muscular. No mais, o time é bem conhecido do torcedor, não precisa mais usar crachá, como provocavam os torcedores adversários. Na estreia contra o Ceará, neste sábado, em Fortaleza, Gomes vai comandar uma equipe reserva , já que os titulares serão poupados para o jogo de volta da Copa do Brasil, dia 25, na Ressacada, frente ao Avaí .

O time base é Fernando Prass, Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Eduardo Costa, Rômulo, Felipe e Diego Souza; Alecsandro e Eder Luis. Isso sem falar em Juninho Pernambucano, que chega dia 10 junho, mas só poderá estrear em agosto.

Nome oficial : Club de Regatas Vasco da Gama
Fundação : 21 de agosto de 1898
Localização : Rio de Janeiro - RJ, Brasil
Estádio : São Januário
Capacidade : 25.000
Presidente : Roberto Dinamite
Treinador : Ricardo Gomes
Principais títulos conquistados: 4 Brasileiros (1974, 1989, 1997 e 2000), 1 Libertadores (1998), 1 Mercosul (2000), 1 Sul-Americano de Campeões (1948), 3 Torneios Rio-São Paulo (1958, 1966 e 1999) e 22 Cariocas (1923, 1924, 1929, 1934, 1936, 1945, 1947, 1949, 1950, 1952, 1956, 1958, 1970, 1977, 1982, 1987, 1988, 1992, 1993, 1994, 1998, 2003)