Tamanho do texto

"Não era o melhor time para pegar, pelo nível técnico deles. Não seria a minha escolha", reconheceu o treinador

O técnico Tite se preocupou em ser respeitoso com a Ponte Preta logo após a vitória por 2 a 1 sobre o time de Campinas, neste domingo. O Corinthians voltará a enfrentar a Ponte nas quartas de final do Campeonato Paulista no próximo fim de semana, provavelmente no Pacaembu.

VEJA FOTOS DA ÚLTIMA RODADA DO CAMPEONATO PAULISTA

"Como técnico do Corinthians, não gostaria de enfrentar a Ponte. Não era o melhor time para pegar, pelo nível técnico deles. Não seria a minha escolha", reconheceu Tite, salientando os pontos fortes da equipe campineira.

Gol de Chicão abriu o caminho para a vitória do Corinthians por 2 a 1
AE
Gol de Chicão abriu o caminho para a vitória do Corinthians por 2 a 1

"A Ponte tem o Lauro como goleiro reserva. Ele foi campeão da Sul-americana comigo, jogando muito contra o Boca Juniors. Também conta com o Roger, que me ajudou quando eu estava no Palmeiras e cabeceia bem, faz o pivô e é difícil de ser marcado. O Enrico é mais um que foi meu jogador, o Cajá merece atenção, o Gilson Kleina está há muito tempo no comando da equipe... Respeitamos. Sabemos que será difícil", discursou.

Veja como ficou a classificação final da primeira fase

Tite ainda desassociou a vitória deste domingo do próximo confronto com a Ponte Preta. "Isso não diz nada sobre o nosso enfrentamento. Cada partida tem uma característica diferente. Teremos 90 minutos decisivos e vamos precisar jogar muito. Não há partida fácil, mesmo depois da vitória fora de casa. Quantas vezes já não vimos surpresas no futebol, com grandes clubes sendo eliminados?", argumentou.

Por fim, o comandante garantiu que seus jogadores não se deixarão influenciar pelo favoritismo atribuído ao Corinthians. "Temos que pensar com a nossa cabeça. Vamos fazer o nosso próprio conceito. Todos os grandes têm favoritismo, mas isso não ganha jogo", advertiu Tite.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.