Tamanho do texto

Presidente do Palmeiras começa a mudar postura e passa a atacar adversários políticos no clube

O presidente Arnaldo Tirone encontrou muita resistência no primeiro ano de trabalho no Palmeiras . O seu jeito calmo e reflexivo - o oposto do sucessor Luiz Gonzaga Belluzzo - foi alvo de críticas de conselheiros e torcedores. Muitos alegam que o dirigente não tem pulso firme para comandar um clube em constante turbulência.

Enquanto transitava na área social do Palmeiras, Tirone chegou a ser chamado de banana por conselheiros. O 'apelido' também foi usado por torcedores em um recente protesto pela má fase do time. Ainda assim, o presidente da equipe do Palestra Itália rejeita a acusação e rebate o ataque de seus opositores com um pouco mais de agressividade do que o normal.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

"Não me considero um banana, o problema é que há muitos bolhas e amebas dentro do Palmeiras. Cada um tem a sua forma de analisar. Eu sou calmo, mas não uma vaquinha de presépio", afirma.

Arnaldo Tirone e Roberto Frizzo passam longe da unanimidade
AE
Arnaldo Tirone e Roberto Frizzo passam longe da unanimidade

No início de 2011, Tirone foi eleito no Palmeiras com um apoio importante: Mustafá Contursi. Mas justamente a falta de mudanças no clube fez a aliança terminar. Atualmente, não há diálogo entre as partes.

Mesmo com todo o cenário desfavorável, Tirone não se mostra preocupado com a pressão do seu futuro trabalho no Palmeiras. "A cobrança no Palmeiras é diária, já falei para a minha esposa que aprendi a trabalhar sob pressão no clube", comentou o mandatário alviverde.

No Palmeiras, outros integrantes da diretoria também encontram resistência. Além de Arnaldo Tirone, o vice de futebol Roberto Frizzo também é alvo de críticas e chegou a ser colocado como desafeto do técnico Luiz Felipe Scolari.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.