Tamanho do texto

Primeira parte do julgamento aconteceu nesta quarta, mas sentença não deve impedir disputa do torneio pelo zagueiro inglês

selo

Acusado de racismo pelo jogador Anton Ferdinand , o zagueiro John Terry não terá que enfrentar o julgamento até depois da disputa da Eurocopa deste ano. Nesta quarta-feira, aconteceu a primeira audiência, sem a presença do atleta do Chelsea , e nela foi decidido o adiamento do caso para a semana do dia 9 de julho.

Relembre: Polícia investiga John Terry por acusação de racismo

Anton, irmão de Rio Ferdinand , acusou Terry de ter proferido ofensas racistas durante a partida entre Queens Park Rangers e Chelsea, em outubro do ano passado. Caso seja condenado, o zagueiro de 31 anos pode ter que pagar uma multa de até 2.500 libras (quase R$ 7 mil).

A primeira parte do julgamento ocorreu nesta quarta, na Corte de Westminster, em Londres. Terry não compareceu, mas seu representante, George Carter-Stephenson, apresentou sua defesa, alegando inocência. Desta forma, foi definido que a sequência da acusação acontecerá apenas no meio do ano, após a Eurocopa, que acontece de 8 de junho a 1º de julho, e da qual o jogador deve participar defendendo a seleção inglesa.

E ainda: Capitão da seleção inglesa será processado por racismo

"O senhor Terry está ansioso pela oportunidade de limpar seu nome", afirmou Carter-Stephenson, em comunicado. "O senhor Terry ficou chocado e revoltado com as acusações na época. Ele nega ter feito qualquer comentário racista e vai afirmar na corte que não é culpado de qualquer ofensa. O senhor Terry nunca abusou racialmente de nenhum jogador na carreira", completou.

Em dezembro do ano passado, a procuradoria de Londres decidiu indiciar o atleta por ofensa racista em público, após analisar imagens da partida. Se for considerado culpado, o zagueiro não deve ter grandes prejuízos financeiros, já que especula-se que ele ganhe mais de R$ 1,5 milhão por mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.