Tamanho do texto

Encontro nesta quinta pode selar acordo para que jogador seja "o rosto" para o mundo do Comitê para a Copa de 2014

Ronaldo e Ricardo Teixeira na homenagem que a CBF fez ao jogador antes de sua despedida pela seleção, em junho de 2011
Mowa / Divulgação
Ronaldo e Ricardo Teixeira na homenagem que a CBF fez ao jogador antes de sua despedida pela seleção, em junho de 2011
O presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e do COL (Comitê Organizador Local) da Copa do Mundo de 2014 marcou uma entrevista para as 12h desta quinta-feira, no Rio de Janeiro, quando poderá anunciar Ronaldo como membro do COL. Teixeira chega de Zurique, na Suíça, na madrugada desta quinta e pela manhã terá conversa pessoalmente com o ex-jogador, para confirmar o convite e para tratarem das atribuições do ex-atleta. É possível que Ronaldo até participe da coletiva, desde que o acordo seja fechado.

Saiba mais : Provável cargo de Ronaldo terá perfil mais festivo do que técnico

O jogador disse a amigos, segundo a “Folha de S. Paulo”, que só aceitaria se tivesse poder de decisão e não fosse apenas uma figura de decoração. A ideia de Teixeira é que ele seja “o rosto” do Comitê da Copa do Mundo de 2014, como foi Franz Beckenbauer no Mundial alemão de 2006. Só que quem mandava no COL era o vice-presidente, Horst Schmidt – o provável é que Ronaldo tenha um executivo ao seu lado para tomar decisões mais técnicas.

Veja também : Romário pede que Ronaldo peça investigação no COL

Com isso, Teixeira sairia de cena, algo estratégico já que está sofrendo denúncias de corrupção como membro do Comitê Executivo da Fifa . Para não perder o cargo foi aconselhado a dividir funções e colocar alguém na diretoria do COL que seja reconhecido no mundo do futebol, no caso do Ronaldo, A nomenclatura do cargo ainda será definida.

Ronaldo se imagina com mesmas funções que Michel Platini teve na Copa do Mundo de 1998, na França. Um ex-ídolo que comandou de fato o COL, com poder de decisão e de discutir assuntos relacionados a verbas e problemas nas reformas e construções de estádios. No momento isso não passa pela cabeça de Teixeira, mas pode mudar no papo desta quinta-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.