Tamanho do texto

Aproveitando-se da fragilidade do adversário, time do Morumbi vence com tranquilidade na estreia do Campeonato Paulista

O São Paulo não pôde contar com Rogério Ceni nem com reforços como Fabrício , Paulo Miranda e Jadson . Mas não precisou de nenhum deles para deixar uma excelente impressão no primeiro jogo da temporada. Estreou no Campeonato Paulista vencendo o Botafogo de Ribeirão Preto por 4 a 0 no Morumbi. E poderia ter feito mais.

Confira a classificação do Campeonato Paulista 2012

Diante de um adversário sem qualidade nem ímpeto de atacar, o São Paulo parecia realizar um jogo-treino de luxo. De tanto insistir, abriu o placar com Rhodolfo , aos 36 minutos do primeiro tempo. Antes do intervalo, aos 42, Cícero ampliou. No segundo tempo, Edson Silva , aos 11, balançou as redes. O resultado foi definido em jogada bisonha na qual o goleiro Márcio fez gol contra, aos 30 minutos.

Veja também: Rogério Ceni completa 39 anos sem saber quando volta a jogar

Os anfitriões se deram ao luxo até de descansar na reta final da partida. Ainda no início da temporada, o time volta a entrar em campo na quarta-feira, às 19h30 (de Brasíla), em visita ao Oeste em Itápolis. O Botafogo atua no mesmo dia, às 17 horas, recebendo o XV de Piracicaba.

O jogo

O São Paulo entrou em campo ao som de "Hells Bells", música da banda de rock AC/DC, uma das preferidas de Rogério Ceni, aniversariante do dia que não pôde jogar por estiramento no ombro direito. O torcedor que foi ao Morumbi ainda enfrentou uma forte chuva começada ao mesmo tempo do apito inicial.

Leia ainda: Em negociações com o São Paulo, Nilmar não joga pelo Villareal

O cenário não parecia nada favorável a uma estreia boa logo após uma temporada considerada vexatória até pela diretoria do São Paulo. Em campo, porém, os comandados de Emerson Leão mostraram que valia a pena qualquer confiança, ao menos para o primeiro jogo.

O time não se intimidou nem se preocupou demais em proteger o gol de Denis ou ajudar o estreante Edson Silva, em seu primeiro jogo ao lado de Rhodolfo. Leão deixou Piris , pela direita, e Cortês , pela esquerda, à vontade para atacar em jogadas quase sempre iniciadas por Wellington ou Cícero. Só Denilson se resguardava um pouco, como um terceiro zagueiro à frente dos defensores.

O Botafogo-SP nem parecia estar treinando há mais tempo. A parte física teoricamente melhor trabalhada na equipe de Lori Sandri foi útil somente para correr, em vão, atrás de são-paulinos que escapavam por todos os lados. O único que merece elogios relamente é o goleiro Márcio, curiosamente formado nas categorias de base do São Paulo.

Veja também: Jadson recebe a 10 de Raí e fala em repetir o ídolo no clube

Apenas o arqueiro conseguiu barrar a principal jogada do São Paulo: os atletas trocavam passes, invertiam até que encontravam, sempre, Fernandinho livre na grade área pela esquerda. O problema era que o atacante, mesmo com alguém livre na área, optava por chutar, na maioria das vezes em cima de Márcio.

Outros ainda erravam, como Cícero e Denilson, que cabecearam para fora chances claras, até com o gol vazio. Quando mudaram os finalizadores, o gol, enfim, saiu. Aos 36 minutos, Lucas cobrou escanteio e Rhodolfo subiu mais do que seus marcadores para testar firme nas redes de Márcio.

Aos 42, finalmente, Fernandinho deixou de cruzar. Novamente desmarcado, cruzou. E com precisão na cabeça de Cícero, que, desta vez, acertou as redes. Leão nem mudou na volta do intervalo. O Botafogo abandonou o esquema com três zagueiros, mas pouco fazia diferença. Tanto que, aos 11 minutos, Edson Silva teve duas oportunidades no mesmo lance até, com o pé, fazer seu gol na estreia pelo clube.

Com 3 a 0, o São Paulo descansou. Nem precisava fazer mais gols. O Botafogo-SP, contudo, manteve-se no papel de trapalhão, e acabou transformando a vitória são-paulina em goleada exatamente com o único que se salvava na equipe: aos 30 minutos, um bate-rebate na área acabou com o próprio goleiro Márcio desviando com os pés a bola na sua meta.

Não havia mais nada a fazer além de lamentação do time de Ribeirão Preto e aplausos por parte dos são-paulinos. Ainda é o primeiro jogo. Mas, pelo menos, depois de bastante tempo, foi possível deixar o Morumbi com uma atuação convincente.

FICHA TÉCNICA - SÃO PAULO 4 X 0 BOTAFOGO-SP
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 22 de janeiro de 2012, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Público: 15.586 pagantes
Renda: R$ 406.940,00
Árbitro: Robério Pereira Pires (SP)
Assistentes: Vicente Romano Neto e Gustavo Rodrigues de Oliveira (ambos de SP)
Assistentes adicionais: Alexandre Bigai Miranda e Marcelo Prieto Alfieri (ambos de SP)
Cartões amarelos: Denilson (São Paulo); Gustavo Bastos e Tiago Ulisses (Botafogo-SP)

Gols:
SÃO PAULO: Rhodolfo, aos 36, e Cícero, aos 42 minutos do primeiro tempo; Edson Silva, aos 11, e Márcio (contra), aos 30 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Denis; Piris, Rhodolfo, Edson Silva e Bruno Cortês; Wellington, Denilson (Casemiro), Cícero (Rafinha) e Lucas; Fernandinho (Maicon) e Luis Fabiano
Técnico: Emerson Leão

BOTAFOGO-SP: Márcio; Gustavo Bastos, Daniel Horst (Vinicius) e Cris; Tiago Ulisses, Alex, Gil Baiano, Emerson e Paulo Junior; Talles Cunha (Vitor Flora) e Luis Ricardo (Taubaté)
Técnico: Lori Sandri

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.