Tamanho do texto

Quando jogamos com raça, somos um time diferente por causa da massa, que nos faz jogar. Pena que esse ano o torcedor não compareceu muito, lamentou

A torcida lotou o Engenhão e festejou a vitória do Flamengo sobre o Guarani, importante para afastar um pouco mais o risco de rebaixamento. O clima de comemoração após a partida, porém, não contagiou tanto o zagueiro Ronaldo Angelim, que exaltou a força das arquibancadas, mas lamentou o abandono dos fãs ao longo do ano.

"Quando jogamos com raça, somos um time diferente por causa da massa, que nos faz jogar. Pena que esse ano o torcedor não compareceu muito. Nós também não fizemos por onde, então temos de ter paciência. Vamos tentar livrar o Flamengo dessa situação e no próximo ano o professor Vanderlei (Luxemburgo) vê o que acontece", disse o defensor, na saída do gramado.

Após o apito final, Angelim foi um dos jogadores que se dirigiram às arquibancadas para agradecer o apoio dos 34.944 pagantes. Visivelmente incomodado com a situação da equipe - agora está em 13º, com 43 pontos -, o jogador alertou: "Ainda não estamos livres".

Ele ainda revelou a conta para que o time se livre definitivamente do risco de rebaixamento e disse que os cariocas precisam somar três pontos nas últimas duas rodadas para respirarem aliviados. Os adversários serão Cruzeiro (em casa) e Santos (fora).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.