Tamanho do texto

Meia-atacante foi convocado após um ano e meio ausente. Ele deve começar como titular contra a Argentina

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860370351&_c_=MiGComponente_C

Fora da seleção desde abril de 2009, Ronaldinho diz que a sua ausência das listas de convocações o motivou. Segundo o meia-atacante do Milan, o período afastado serviu para ele estipular uma nova meta na carreira: o Mundial de 2014. O primeiro passo para isso pode acontecer na próxima quarta-feira, quando ele deverá ser escalado para começar a partida contra a Argentina, em Doha.

Pelo fato de estar há muito tempo fora, a motivação é grande. Eu penso em voltar e ficar até a próxima Copa, afirmou o jogador, em entrevista coletiva nesta terça-feira. Avesso à polêmicas, Ronaldinho não citou o nome do ex-técnico da seleção brasileira, Dunga, e falou pouco sobre a sua ausência no Mundial da África do Sul.

Quando fiquei fora, no momento, houve tristeza , mas depois, procurei transferir para o lado bom, já pensando na próxima Copa. Me vejo muito jovem, afirmou o jogador que terá 34 anos em 2014.

A última partida de Ronaldinho com a camisa da seleção foi contra o Peru, em Porto Alegre, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. O jogo foi no dia 1 de abril. Desde então, o meia-atacante do Milan deixou de se chamado por Dunga.

Nova fase
Com Mano Menezes, a primeira chance veio na quarta partida do técnico no comando do time. Antes do chamado, o técnico conversou com Ronaldinho na Itália. Foi normal, ele falou com outros jogadores também. Eu me coloquei à disposição. Sempre estive à disposição da seleção, disse o jogador.

Na única entrevista que concedeu em Doha, Mano disse que Ronaldinho será cobrado pelo que produzir em campo para o time Ele deve ter ele mesmo como referência, afirmou o técnico.

Agora estou chegando nessa convocação com esse papel de armar jogadas, sem perder as minhas características, mas passando experiência para os mais novos, afirmou Ronaldinho.