Tamanho do texto

Contra a Venezuela, atacante deixou time no segundo tempo pelo terceiro jogo seguido com Mano Menezes

Robinho admitiu que não tem gostado de ser substituído. Nos últimos três jogos da seleção brasileira, já contando o deste domingo, contra a Venezuela, o camisa 7 deixou o campo - foi assim também dia 4 de junho, contra a Holanda (em Goiânia), e dia 7 de junho, contra a Romênia (em São Paulo). Até em La Plata, no empate sem gols na estréia da Copa América, os torcedores brasileiros gritaram pelo jovem são-paulino Lucas e quando Robinho saiu, desta para entrar Fred, houve vaias.

“Eu respeito a opinião do Mano, mas eu não quero sair e estou saindo sempre dos jogos”, disse o jogador, com cara emburrada.

Robinho deixa o campo após ser substituído no 2° tempo
Reuters
Robinho deixa o campo após ser substituído no 2° tempo

Robinho fez um final de temporada produtivo pelo Milan, que foi o campeão italiano, mas não tem atuações convincentes na seleção. Titular com Dunga na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, Robinho manteve a posição com Mano e ainda foi promovido a capitão.

“Pecamos muito nas finalizações, quando pega um adversário assim, com menos tradição, tem que fazer um gol rápido, com menos de dez minutos. E quanto às vaias é normal, eles pagam e podem não gostar”, disse o jogador.

As atuações ruins fizeram ele perder a tarja com o retorno de Lúcio e até a ganhar um descanso no amistoso de março, contra a Escócia, em Londres, quando nem foi convocado. Mano ainda não pensou em tirá-lo do time porque pretende insistir no 4-3-3 que foi eficiente em seu primeiro jogo, contra os EUA (vitória por 2 a 0), em agosto de 2010. O jogo contra a Venezuela foi o segundo com o time que considera ideal, já que Pato e Ganso estiveram machucados nos últimos meses.

“O Robinho e o Neymar ficaram muito abertos, e quando tinham a bola ficavam muito isolados. Temos que mudar isso, eles têm que se aproximar do Pato e do Ganso. Ajustes que precisam ser feitos para a próxima partida”, disse Mano, que pretende mudar o posicionamento, mas pelo visto não a escalação. O garoto Lucas é o mais cotado a entrar caso Mano queira mudar e manter o esquema ou Elano, caso a tática mude para o 4-4-2.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.