Tamanho do texto

Treinador admitiu que Gre-Nal foi bom teste, porém, insuficiente para titularidade do atacante

Boa atuação e gol em um clássico valendo título é um cartaz e tanto, certo? Para Renato Gaúcho , sim, porém, insuficiente. É assim que o treinador avalia o momento de Leandro no Grêmio .

Depois do Gre-Nal , o treinador mantém o discurso de preservar o atacante de 17 anos. Entende que ele não pode ter toda a responsabilidade de decidir os jogos, admite que errou ao escalá-lo na Libertadores e promete continuar "lapidando a joia":

"É difícil estar pronto com 17 anos. Ele foi muito bem, vinha se saindo bem anteriormente, mas de repente ganhou uma responsabilidade a mais na Libertadores e viu que os jogos eram mais pegados. Não adianta responsabilizar o menino. Se há um culpado, sou eu. O Gre-Nal foi um teste de fogo, mas não o suficiente. Ele ainda precisa amadurecer".

Renato, aliás, usa a própria experiência para fazer de Leandro um grande jogador. Em 1982, surgindo como promessa do Olímpico, o então atacante foi expulso em um clássico e viu o Inter fazer 3 a 1 e ser campeão gaúcho.

"É isso que eu tento evitar com o Leandro. Lógico que eu errei, mas foi a idade. Era hora de me dar uma 'travada', como estou dando no garoto", defendeu.

Nesta lógica, o garoto não tem titularidade garantida para o clássico de domingo, no Olímpico, na final do Gauchão. Se atuar pode fechar com chave de ouro a participação no Estadual. Em 13 jogos, Leandro fez sete gols.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.