Tamanho do texto

Clube garantiu vaga na primeira divisão inglesa, mas pode ser punido por conta da contratação do meia argentino Alejandro Faurlin

O Queens Park Rangers, que no último sábado derrotou o Watford por 2 a 0 e garantiu matematicamente o acesso para a primeira divisão do Campeonato Inglês, corre o risco de ser punido com a perda de pontos por conta de irregularidades relacionadas à contratação do meia argentino Alejandro Faurlin.

O clube, cujo maior acionista é o chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, poderá voltar à elite após 15 anos, mas primeiro tem que conquistar outra vitória, agora nos tribunais. Uma audiência está marcada para esta terça-feira. A Justiça analisará a transferência de Faurlin, que quando foi contratado era um dos acionistas do clube.

O Rangers garante que não fez nada de errado e por isso confia que a decisão judicial que será anunciada na próxima sexta-feira seja favorável. A FA (sigla em inglês para Federação Inglesa de Futebol) vinha investigando o caso desde setembro, quando o Rangers solicitou a permissão para comprar o pacote acionário que pertencia ao meia, motivada pelas novas regras que proibiam os jogadores de terem participações no clube em que jogam.

A FA pode punir o QPR com a perda de até 15 pontos e, caso opte pela punição, poderá tirar a equipe de Londres inclusive da zona de classificação para os playoffs.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.