Tamanho do texto

Presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) deixou o Brasil nesta sexta-feira

O presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, viajou para Miami nesta sexta-feira. Em meio a rumores de que deixará a entidade, o cartola evita contatos com a imprensa e seus assessores não negam as informações que vem sendo divulgadas, sobre uma iminente renúncia .

Veja também: Teixeira não decidiu sobre renúncia e irá se pronunciar sábado, diz cartola

O dirigente embarcou em um avião particular no início da tarde desta sexta. Segundo seus aliados, Teixeira deverá anunciar o seu futuro à frente da entidade até domingo. Eles, entretanto, acreditam mais na hipótese de uma licença do que no pedido de renúncia.

Ricardo Teixeira durante evento da Copa do Mundo, em 2011
Getty Images
Ricardo Teixeira durante evento da Copa do Mundo, em 2011


Em Miami, Ricardo Teixeira vai se encontrar com a esposa Ana Carolina Wigand e a filha Antônia, que estão em Miami desde janeiro. O cartola viajou em um avião particular, acompanhado de Wagner Abrãao, dono da agência de turismo Pallas, do grupo Águia. A empresa é parceira da CBF e foi escolhida para comercializar os pacotes VIP’s da Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Leia mais: Del Nero diz que renuncia de Teixeira é boato e enxerga “golpe”

Uma nota sobre o caso será divulgada no site da CBF ainda nesta sexta-feira. Sem apoio da Fifa, que já trata da Copa do Mundo de 2014 diretamente com o Governo Federal, e sem diálogo com a presidenta Dilma Rousseff, Teixeira é alvo de novas denúncias de corrupção.

Envolvido, segundo a BBC, em um caso de corrupção dentro da Fifa, que está sendo investigado na Suíça, o brasileiro tem seu nome ligado agora a um escândalo no Brasil. Documentos revelados pela Folha de S. Paulo apontaram que o cartola tem ligações com a empresa que superfaturou o amistoso da seleção brasileira contra Portugal, em 2008, no Distrito Federal. O caso foi investigado pela Polícia Civil de Brasília e está na Justiça Federal.

Em dezembro, Ricardo Teixeira chegou a pedir uma licença do cargo de presidente da CBF e do COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.