Tamanho do texto

Jadson foi a surpresa de Mano e disse que ainda não se sente titular da seleção. Fred classificou o gol de importante

Dois coadjuvantes evitaram que a seleção brasileira fosse derrotada em Córdoba, no empate por 2 a 2 com o Paraguai, na tarde deste sábado. Jadson, a surpreendente escalação de Mano Menezes, contou que soube só nesta sábado que jogaria. Já Fred entrou no segundo tempo e marcou aos 44 minutos um gol de empate que deixou o Brasil com dois pontos no Grupo B.

“O Mano me disse na sexta-feira que talvez me colocasse, dependendo do que ele soubese do posicionamento do Paraguai, com três zagueiros. Hoje (sábado) ele confirmou que eu jogaria”, disse

Jadson, que contou ainda que havia sido testado no treinamento de quarta-feira, o fechado que gerou a polêmica se a diretoria de comunicação da seleção havia mentido sobre as mudanças que Mano havia feito no time – a informação era que foram testadas duas mudanças apenas, Elano na vaga de Ramires e Lucas na de Robinho..

“Eu treinei no lugar do Robinho. Fiquei feliz pela oportunidade, mas não me acho titular da seleção brasileira ainda. Feliz por ter essa confiança, pena que o gol não serviu para vencermos”, disse Jadson, 27 anos e jogador do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia.

O iG apurou que a assessoria da CBF não mentiu, mas omitiu que Jadson tinha treinador, a pedido de Mano, já que ele sabia que se o Paraguai atuasse com mais jogadores defensivos ele tiraria Robinho. A dúvida do treinador era se colocaria Elano ou Jadson, mas no treino percebeu que com o jogador do Santos o time ficava mais defensivo, e não seria interessante.

Jadson deixou o time no intervalo não porque rendia pouco, Mano estava gostando de sua atuação, mas porque já tinha recebido cartão amarelo e estava “jurado” pelo árbitro colombiano Wilmar Roldán para ser expulso, após cometer uma falta.

Ao ser perguntado sobre a saída de Jádson no intervalo do jogo, Mano Menezes ironizou. “Vida de técnico é assim: põem tem que explicar, tira tem que explicar”. Depois, afirmou que só tirou o meia, pois temia que ele poderia ser expulso. “Ele havia tomado um cartão amarelo e fez mais uma falta na minha frente. Você não pode perder um jogador numa partida como esta tão disputada”, justificou.

Importante
Um dos poucos que esboçava sorriso nas entrevistas foi o atacante Fred. Dos últimos três gols da seleção, ele marcou dois (também contra a Romênia, dia 7 de junho). Para um jogador convocado pela primeira vez por Mano menos de um mês antes da Copa América, o gol salvador, segundo ele, serve para mostrar que merece estar no grupo.

“Pena que foi um gol de empate, não um gol de vitória. Mas foi importante, só que agora temos que pensar no jogo decisivo que teremos contra o Equador”, lembrou o atacante. O Brasil enfrenta os equatorianos na quarta-feira (13 de julho), 21h45, novamente em Córdoba.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.