Tamanho do texto

Pedro Valente, da oposição, teme que eleição marcada para o dia 2 de agosto seja marcada por fraude

No dia 2 de agosto, o Vasco apontará, nas urnas, seu novo presidente para o triênio 2011/12/13. Enquanto o pleito não chega, o clima esquenta na política. Nesta quinta-feira, a oposição apontou falhas no processo de cadastramento do programa sócio torcedor “O Vasco é meu” por causa da listagem de eleitores e elegíveis. A principal denúncia foi de cadastro de sócio morto.

Pedro Valente exibe a carteira e o atestado de óbito do sócio morto
Hilton Mattos
Pedro Valente exibe a carteira e o atestado de óbito do sócio morto
As eleições este ano foram parar na Justiça por conta de suspeita de fraude. Opositores de Roberto Dinamite, atual presidente, contestaram a lista de elegíveis em abril. A juíza Fernanda Xavier de Brito, da 37ª Vara Cível, concedeu liminar suspendo o processo eleitoral. O prazo estabelecido entre as correntes políticas e a assembleia geral determinou a realização do pleito para o começo de agosto.

Entre para a Torcida Virtual do Vasco e ajude o Gigante da Colina a superar os grandes rivais

Pedro Valente exibe a carteira e o atestado de óbito do sócio morto
Hilton Mattos
Pedro Valente exibe a carteira e o atestado de óbito do sócio morto
Só que uma denúncia contra novo programa de sócios está levando a frente liderada pelo médico Pedro Valente, principal opositor de Dinamite, a tentar adiar o processo eleitoral novamente. Tudo porque, após denúncia anônima, os conselheiros chegaram à informação de que o cadastramento da empresa responsável pelo programa é falho, pois o sistema não cruza informações e é possível criar título em nome de um sócio já morto.

Manuel Angelo da Cunha, falecido em 1980, tem carteira de sócio e faz parte do “O Vasco é meu”. Alguém se passando por ele só não tem direito a voto porque o cadastro foi feito há menos de um ano – período que não permite o associado a participar do pleito. Valente, no entanto, conta que há cadastro de outros sócios mortos, e que este não seria o único caso.

Siga o Twitter do iG Vasco e receba notícias do time em tempo real

“Esta empresa faz o cadastro de uma pessoa morta. Como vamos acreditar na lisura desta eleição”, criticou Valente. “Antes, a lista era controlada pelo clube. Agora é por esta empresa, que não nos passa a relação completa dos sócios eleitores e elegíveis. Tudo isso compromete a seriedade do processo eleitoral”, completa o candidato. A oposição espera que a Justiça se manifeste até a véspera da eleição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.